FÉRIAS DA PRIMAVERA

Créditos de Imagens: Marcos Zoroh

Gilberto Costa – Poeta e escritor

Quando as chuvas caem no sertão, a primavera arruma sua bagagem e peregrina de férias por suas paisagens. É a oportunidade que tem de presenciar cores e flores antes de setembro. E suas férias são longas, ultrapassando os geralmente trinta dias.

Jurema branca

No sertão, quando chove, a primavera se indumentariza de pétalas ofertadas pelos cardeiros, xiquexiques, faveleiras, juremas, urtigas, marmeleiros, muçambês, enfim das fores fashion daqui de nós. E farisca cheiros nunca antes sentidos em outras regiões. Nos períodos chuvosos, a primavera participa dos rituais em nossas ribanceiras, através dos concertos dos pássaros, dos cortejos de répteis, dos balidos das ovelhas, do mugido do gado, das procissões de insetos e tem seus ouvidos presenteados com variadas onomatopeias que encontram congruência na regência do vaqueiro.

Não adianta o marketing do cerrado, dos campos, das florestas tropicais, dos pinhais ou mata atlântica. Quando os pingos das chuvas gotejam, a primavera passa suas férias no sertão, no meio da caatinga. Fuxicam o verão, outono e inverno que a primavera sente certa afeição pelo sertão. 


Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.