Prefeito de Tamandaré contratou funcionária particular de sua casa como ‘gerente de divisão’ do município

A morte do menino Miguel não encalacrou apenas a primeira-dama do município pernambucano de Tamandaré, Sari Corte Real.

O prefeito do município Sérgio Hacker Corte Real, do PSB, patrão da doméstica Mirtes Renata, contratou a funcionária da sua casa como servidora pública da Prefeitura de Tamandaré.

Desde 1º de fevereiro de 2017 Renata, funcionária pessoal da família do prefeito, foi inserida no quadro dos servidores do município.

Mirtes Renata, que trabalhava para Sarí Corte Real, primeira-dama de Tamandaré, e que foi presa em flagrante logo após a morte do pequeno Miguel, e liberada após pagar fiança de R$ 20 mil, está cadastrada como Gerente de Divisão CC6, com lotação em Manutenção das Atividades de Administração.

As informações estão no Portal da Transparência de Tamandaré, onde até a sexta-feira (5) ainda não havia sido registrado desligamento da ‘servidora’.

Na folha de pagamento da prefeitura, consta que Mirtes recebia um salário de R$ 1.517,57 até março de 2020, mas nos dois últimos meses, abril e maio, o pagamento baixou para R$ 1.093,62, valor atual do salário mínimo.

Nenhum comentário

Seja o primeiro a comentar o tópico.

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.