JÁ ERA TEMPO Fátima sai do silêncio e defende reforma da Previdência

FOTO: Portal Grande Ponto

A governadora Fátima Bezerra (PT) saiu do silêncio a que havia se imposto sobre a reforma da previdência estadual. No fim da tarde desta quarta-feira (21), a petista concedeu uma entrevista coletiva a imprensa na Governadoria. Na oportunidade, a gestora defendeu a necessidade do projeto que encaminhou para Assembleia Legislativa, alertou para o prazo limite de 31 de julho para que a matéria entre em vigor no Rio Grande do Norte e disse que orientará a bancada governista a colocar a proposta em votação, mesmo sem a garantia dos votos mínimos necessários a sua aprovação.

“A reforma da previdência não é vontade pessoal da governadora ou do atual governo. Obedece a uma realidade que está posta, através da aprovação da emenda constitucional 103, a reforma do governo federal, que estabeleceu o prazo de 31 de julho  como a obrigatoriedade para que estados e municípios façam as suas reformas. E aí só teremos 2 caminhos, ou aprovar a reforma que passou por debate com servidores, ou ter que aderir a reforma do governo federal”, disse Fátima, enfatizando que o projeto estadual seria mais justo que o aprovado pelo Congresso Nacional.

Sobre as críticas que vem recebendo por, no passado, ter criticado a reforma da previdência em nível federal, a governadora disse que, ainda na campanha eleitoral de 2018, dizia “que precisávamos enfrentar o problema do sistema previdenciário do RN, dizia que nenhuma proposta seria encaminhada ao Legislativo sem que passasse pelo crivo do debate com os servidores. E foi isso que fizemos. Colocávamos na ocasião a necessidade de fazer a reforma porque o RN sabe que sistema está totalmente sucateado, falido”. (Fonte: Portal Grande Ponto)

FALTA DIÁLOGO

Pela quarta vez a sessão que iria discutir a reforma da Previdência estadual não aconteceu por falta de quórum na quarta-feira (22). Apenas 12 deputados registraram presença na sessão, que acontece de modo virtual. São necessários no mínimo 15 presentes para se votar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC).

Dessa vez a governadora Fátima Bezerra (PT) tentou uma reunião com os deputados da oposição, mas todos recusaram. Eles exigem que o encontro seja virtual e com transmissão aberta pela TV Assembleia, e não na governadoria, como queria Fátima.

Diante do impasse, os deputados que apoiam o governo Fátima Bezerra (PT) não registram presença nesta quarta-feira, pois ainda não há votos suficientes para aprovar a PEC. Essa é uma estratégia que o Governo vem adotando desde o início das discussões.

O Governo contabiliza apenas 13 votos pela reforma da Previdência dos servidores estaduais, quando são necessários pelo menos 15 para aprovação da PEC em dois turnos.

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.