Escolas privadas de Mipibu negociam mensalidades com os consumidores

FOTO: BLOG DALTRO EMERENCIANO

As aulas presenciais para todos os níveis da Educação estão suspensas em razão da pandemia do novo coronavírus, mas a maioria das instituições de ensino privadas está repassando conteúdo por videoaulas.  Por conta disso, os Procons lançaram uma Recomendação – Mensalidades Escolares, com a determinação para que as escolas abram canais de diálogo com pais de forma transparente. Os Procons determinam que as escolas façam a readequação financeira do contrato (deem descontos) em relação aos custos correntes ou variáveis que diminuíram.

A direção do Instituto Pio XII encaminhou a seguinte nota:

“O Instituto Pio XII, sensível com a situação da pandemia e, tendo em vista, que essa situação iria comprometer financeiramente as famílias de nossos alunos, decidiu, antes de qualquer decreto publicado, conceder 30% de desconto nas mensalidades de maio e junho. Essa medida poderá ser continuada até o término do isolamento social. Outra medida foi instituirmos as aulas síncronas diariamente pela internet. Criamos, também,  grupos de Whatsapp para cada turma e criamos ainda um canal no YouTube, onde, frequentemente são postadas pelos nossos professores aulas e mensagens de apoio e incentivo. Nossa secretaria está aberta para atendimento de segunda a sexta-feira das 7h30 às 11h30”.

A direção da Escola Batista Carlos Mathews, informou que “Somos uma instituição comprometida com o ensino, mas também somos responsáveis por zelar pela saúde e bem estar dos nossos alunos, professores, funcionários e familiares e que em virtude dessa pandemia,  estamos cumprindo o decreto do Governo do Estado. Estamos concedendo um desconto de 30% nas mensalidades escolares( meses de maio e junho) e  aguardando o retorno das nossas atividades normais”. 

Para a direção da Rede Conhecer Educacional, “De maneira geral as escolas estão passando por grave crise financeira.  A economia com água, energia, material de expediente não é significativa. Em contrapartida, a inadimplência que sempre existiu agora está em níveis insuportáveis. Por outro lado, sem aulas presenciais, mesmo havendo a obrigatoriedade de repor todas as aulas, muitos pais, cujas rendas podem ter sido reduzidas ou não, exigem descontos. A pergunta que não quer calar: como oferecer descontos se estamos no prejuízo? Após dois meses da suspensão das aulas presenciais, sem poder conceder descontos, devido o alto índice de inadimplência, finalmente fomos socorridos pelo governo federal, que durante dois meses está assumindo a folha de pagamento da escola em quase toda a totalidade. Graças a essa ajuda finalmente poderemos conceder desconto de 15% acima dos 20% que já oferecíamos, totalizando 35%. Isso, para o mês de junho. Já para o mês de julho estamos planejando um desconto de 50%. No entanto, é importante destacar que os descontos excepcionais serão válidos para pagamento em dia”, informou Clodoaldo Barbosa.


Nenhum comentário

Seja o primeiro a comentar o tópico.

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.