O Brasil envelheceu

Nadja Lira – Jornalista • Pedagoga • Filósofa

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), constata que a população brasileira está envelhecendo. Isto significa dizer que o número de pessoas com mais de 60 anos já é superior ao número de crianças com até nove anos de idade. Esta realidade também pode ser vista no Rio Grande do Norte onde o contingente de idosos já é superior a 56 mil.

Para comprovar a veracidade da pesquisa do IBGE basta verificar que a quantidade de vagas destinadas ao público idoso nos estacionamentos espalhados pela cidade do Natal aumentou consideravelmente. Ao me dar conta deste aumento, imaginei que o público da “melhor idade” estava fazendo mais compras, ou passeando mais. Mas, finalmente constatei que a realidade é outra: O povo brasileiro envelheceu.

Lembro-me de que na minha época de adolescente, ouvia comentários afirmando que o Brasil não progredia devido ter a base de sua pirâmide econômica formada por jovens, que em nada contribuíam para o desenvolvimento do País. Hoje, os comentários são outros uma vez que a base da tal pirâmide é formada por idosos, os quais minam os recursos brasileiros devido ao pagamento de suas aposentadorias.

Eu nada entendo de Economia, mas penso que as aposentadorias nada mais são do que a devolução dos valores descontados compulsoriamente de nossos salários quanto estamos trabalhando. Portanto, o valor (minguado) que se recebe a título de aposentadoria, nunca, jamais, em tempo algum, tal valores poderão ser denominados como um favor feito pelos governantes brasileiros.

Não é demais lembrar que estes nobres governantes, a quem todo brasileiro paga uma grande parte de suas mordomias, trata muito mal à esta parcela da população. Idosos neste meu Brasil lindo e trigueiro não passam de brasileiros de segunda ou terceira classe, tal é o desrespeito com que são tratados.

Ao se aposentar, o trabalhador brasileiro diferentemente dos nossos políticos, só recebe oitenta por cento do seu salário e sempre fica de fora quando a categoria profissional à qual pertence tem seus proventos reajustados. Atualmente o Brasil conta com algo em torno de 11 milhões de aposentados e pensionistas.

Considerando que é justamente no momento da aposentadoria que as pessoas passam a desenvolver algumas doenças como hipertensão, diabetes, artrite, artrose e outros males comuns a idade, seria muito interessante que nossos governantes disponibilizassem médicos geriatras para cuidar das pessoas nos postos de saúde.

Afinal, ninguém melhor do que um médico geriatra para acompanhar e minimizar os efeitos dos males que acometem os idosos. É este especialista quem melhor conhece todos as mudanças anatômicas e psicológicas pelas quais passam as pessoas durante o processo de envelhecimento natural a todo ser vivo.

Enquanto isto, nos postos de saúde e hospitais espalhados pelo RN falta tudo: médicos, medicamentos, leitos e outros serviços pelos quais pagamos de forma antecipada. Sonhar com um geriatra para atendimentos em posto de saúde parece piada. Mas é nosso direito. É para termos serviços públicos de qualidade que pagamos as mais altas taxas de impostos do mundo.

Mas, o que se pode esperar de governantes que não priorizam os insumos utilizados nos hospitais para atendimento dos pacientes? O que esperar de governantes que fecham hospitais em plena pandemia?

O Brasil envelheceu e, portanto, é urgente que estes governantes compreendam a necessidade da presença de geriatras nos postos de saúde para atender a esta parcela de brasileiros que tanto contribuíram para o crescimento do País.

Compartilhar em:

3 Comentários

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.