Jornalismo com ética e coragem para mostrar a verdade.

julho 7, 2024

FANTASMAS

Ana Cláudia Trigueiro – Psicóloga e Escritora ― Oi.

Ana Cláudia Trigueiro – Psicóloga e Escritora

― Oi.

― Oi.

― Você publicou um livro, né?

― Na verdade, alguns...

― Queria publicar, mas não tenho dinheiro.

― Nem eu.

― Então como faz?

― Você escreve, organiza o material e envia pra uma editora. Aí depois de um tempo, ela te responde ou não. É meio complicado...

― Acha que alguém publicaria algo meu?

― Depende... se o que você escreve estiver dentro da linha editorial da editora...

― O que é linha editorial?

― É o tipo de assunto que a empresa escolhe pra trabalhar...

― Escrevi uma história de fantasma...

― Pra crianças, adolescentes ou adultos?

― Pra gente da minha idade, eu acho...

― E qual a sua idade?

― Doze...

― Ah... que legal! Então gosta de escrever?

― Gosto... e tem esses fantasmas...

― Como assim?

― Os fantasmas que moram nessa casa. Aí uma menina, Lili o nome dela, vai lá e conhece eles...

― Tipo a história do Gasparzinho?

― É! Tenho todos os gibis dele.

― Então, o “Fantasminha camarada” foi sua inspiração...

― Foi. Minha mãe adorou minha história!

― E você?

― Sinceramente? Detestei!

― Então por que quer publicar?

― Não é isso o que as escritoras fazem?

― E você é uma escritora?

― Sou.

― Como sabe?

― Porque eu tenho essa vontade de escrever. Uma vontade que não passa...

― Nossa! Senti firmeza! Se você diz, você é! Acredito nisso. Só tem uma coisa...

― O quê?

― Você lê?

― Leio!

― O quê?

― O que tem lá na biblioteca. Minha mãe me deixa ir uma vez por semana e pego livros emprestados. Meu vizinho coleciona gibis e me empresta também.

― Me diz as coisas que você já leu...

― Toda a coleção Vagalume, tudo do Ganimedes José, O Sítio do Picapau Amarelo, Sherlock Holmes... quase tudo da Marvel, da DC, da turma da Mônica, da Disney, da Luluzinha, do Recruta Zero, do Gasparzinho, do Conan, faroeste do meu tio e histórias de terror da revista Cripta (mas a minha mãe não sabe disso).

― Caramba!

― Os nove livros da Laura Ingals Wilder, a coleção de mistério da Gisela e... mitologia grega...

― Ok, ok, você conseguiu me impressionar! Já quero te ler, garotinha...

― Jura? Como faço pra te enviar?

― Manda pelo WhatsApp.

― O que é WhatsApp?

― Você não tem celular?

― Celular? O que é isso?

― Tá de brincadeira?

― Não... mas tô desconfiada de uma coisa...

― Do quê?

― Você não é um deles, é?

― Cruzes... um deles quem?

― Um dos fantasmas...

― Você está me assustando...

― Encontrei seu livro na biblioteca, mas em vez de ler uma história, estou lendo essa nossa conversa, faz sentido pra você?

― Não... qual o seu nome?

― Ana...

― Ana? Ai meu Deus!

― O que foi?

― Em que ano você está?

― 1985, claro!

Uma resposta para “FANTASMAS”

  1. Carlos disse:

    Legal…👏👏👏👏