EXEMPLO DE PAI

Nadja Lira – Jornalista • Pedagoga • Filósofa

Os pais têm um papel muito importante na vida dos filhos, mas ser pai (ou mãe) não é tarefa fácil. Especialmente porque os bebês não veem com um manual de instrução, contendo fórmulas para nortear os pais sobre os cuidados e as responsabilidades das quais os filhos necessitam para crescerem de forma saudável. Entre os animais irracionais existem modelos de pais, que deveriam servir de exemplo para alguns homens (ou mulheres) da atualidade.

O pinguim-imperador, por exemplo, é um modelo encantador de pai, conforme informam os especialistas em comportamento animal. É o macho quem precisa cuidar e proteger o ovo do qual vai brotar um novo membro para a sua família. Enquanto a fêmea parte para o mar em busca do alimento para a família, o papai pinguim cuida do filhote num ambiente completamente inóspito devido ao gelo que predomina na região onde vivem.

O filme Happy Feat: O Pinguim também nos dá uma mostra do quanto é extraordinária a relação dos pinguins com sua prole. Primeiro, o macho precisa ser um excelente cantor. Só assim ele vai conquistar uma fêmea com a qual vai viver o resto dos seus dias, em uma relação monogâmica. Depois de perder sua companheira, o Pinguim jamais procura outra.

Outro exemplo de pai extremado é o Crocodilo do Nilo. Ele mantém os ovos dentro da própria boca para mantê-los na temperatura adequada, até que complete o tempo necessário à sua eclosão.

As Orcas, consideradas baleias assassinas, também demonstram um zelo especial para com seus filhotes. Eles são cuidados e protegidos pelos pais até os 15 anos de vida. As Orcas também são monogâmicas e o cuidado com os filhotes se dá devido à dificuldade de sobreviverem nos oceanos, onde todos têm a vida ameaçada por outras espécies.

Eu já não tenho pai. Como músico, ele foi convidado para fazer parte da Orquestra do Céu, no ano de 2004, deixando a mim, a família e os amigos com muita saudade. Meu pai era um homem cheio de defeitos, como todo ser humano, mas foi um excelente pai, a quem devo, além da vida, uma série de ensinamentos que levo pela vida afora.

Foi graças ao meu pai que desenvolvi gosto pela leitura e pela escrita, o que acabou por me transformar em uma jornalista crítica, com capacidade de observar as cenas urbanas fazendo análise própria das situações cotidianas. Também foi graças a tudo o que ele me ensinou, que acabei me tornando uma professora consciente da grande responsabilidade que é a Educação e sua capacidade transformadora.

Minha paixão pelo estudo da Filosofia foi despertada graças às conversas com ele, um profundo amante do saber. Nas nossas conversas, ele costumava dizer o quanto o estudo da Filosofia era importante na vida das pessoas, uma vez que tal disciplina tinha a capacidade de nos dar as respostas para todas as nossas dúvidas. Assim, eu cresci com a certeza de que também me tornaria uma amante do saber. Pena que ele não teve tempo para acompanhar esta etapa da minha vida.

Também agradeço a meu pai pelo meu gosto musical. Foi através dele que conheci os grandes nomes da música internacional e aprendi a apreciar os grandes músicos, grandes cantores e sua obra que atravessa os séculos.

Durante a minha infância, meu pai foi meu professor particular. Graças a ele superei minhas grandes dificuldades na resolução dos problemas matemáticos envolvendo as quatro operações. Lembro-me o quanto tais problemas me pareciam complexos e como ficavam fáceis depois que ele os explicava.

À noite, depois do jantar, ele sentava comigo na sala da nossa casa e me ensinava Geografia. Afinal, ele havia viajado o Brasil inteiro e me falava sobre as características de cada estado, com o conhecimento de quem viveu naquelas paragens. Desse modo, aprendi rápido o nome dos estados e de suas respectivas capitais. Esta forma de estudar também foi responsável por despertar meu desejo de conhecer o país e assim, tornei-me uma viajante contumaz.  

Hoje, com saudade do meu pai, relembro todas as coisas boas que ele me ensinou e percebo com muita nitidez: Meu pai não era um Pinguim, um Crocodilo do Nilo ou uma Orca. Era apenas um homem que ao se tornar pai, não recebeu uma bula ou um manual de instrução, mas soube como me guiar pela vida. Portanto, posso dizer que eu tive a sorte de ter um exemplo de pai.

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.