Cotado para vice de Lula, Alckimin deixa PSDB depois de 33 anos

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta quarta-feira, 15, sua desfiliação do PSDB, partido no qual esteve por 33 anos.

Pelas redes sociais, o agora ex-tucano disse que anunciará em breve seus próximos passos.

 A saída do tradicional político do PSDB já era esperada. Alckmin viu-se isolado no partido após romper com o governador de São Paulo João Doria, candidato do PSDB para 2022.

É um novo tempo! É tempo de mudança! Nesses mais de 33 anos e meio de trajetória no PSDB procurei dar o melhor de mim.

Um soldado sempre pronto para combater o bom combate com entusiasmo e lealdade. Agora, chegou a hora da despedida. Hora de traçar um novo caminho

 Valeu cada obstáculo vencido, cada momento vivido, cada conquista feita. Em breve, anunciarei meus próximos passos”, escreveu em sua conta do Twitter.

Cotado para uma possível chapa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na eleição de 2022, Alckmin já recebeu convites para se filiar no PSB, PSD e no Solidariedade.

Uma chapa de Alckmin e Lula é vista como difícil, mas não impossível pela cúpula do PT.

Os dois se encontraram duas vezes nos últimos meses e abriram um canal de diálogo.

Em conversas internas, Lula ressalta que Alckmin tem compromisso com a democracia e que todos conhecem a sua forma de pensar e agir, dado o seu longo histórico na política.

Segundo a última pesquisa EXAME/IDEIA, a possível união entre o petista e Alckmin é avaliada como negativa para 48% da população. Já 35% avaliam positivamente uma candidatura com o petista e o ex-governador de São Paulo.

Do Território Livre

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.