Reflexão para o Dia de Finados

O dia de Finados, 02 de novembro, é uma celebração muito significativa e com uma simbologia marcante na vida da Igreja. Recordar as pessoas que amamos e que já se foram para junto de Deus é uma atitude milenar na história da humanidade. Todos os povos e culturas em todos os tempos tiveram, cada qual a seu modo, uma maneira de homenagear e relembrar aquelas pessoas que cumpriram com sua missão na Terra e partiram. Na Igreja, os cristãos atribuíram um sentido novo a esse gesto de recordar dos entes falecidos: a certeza da ressurreição que Jesus Cristo nos garante pela sua palavra e sua vida.


Podemos pensar nossa vida como uma enorme viagem. Neste mundo, todos somos viajantes, caminhando todos os dias por lugares novos, conhecendo pessoas diferentes e vivenciando diversas experiências. Quando viajamos com responsabilidade, nossos caminhos são frutuosos, floridos, não sem pedras e espinhos, é verdade, mas encontramos em cada passo motivos novos para agradecer a Deus pela bonita viagem que se chama VIDA.


Pensando nessa viagem que todos estamos a fazer, lembramos no Dia de Finados também a tantas pessoas que passaram por aqui, fazendo sua viagem da vida e voltaram para casa. Sim, porque ao final da viagem, todos voltaremos para casa. E onde é nossa casa? Junto de Deus, no colo amoroso e misericordioso de Deus. E este é precisamente o sentido de celebrar um dia em recordação dos fiéis defuntos: a certeza que temos de que ao final desta bela viagem da vida, crendo no amor e no perdão de Deus, confiamos a Ele as pessoas que amamos, sem deixar de lembrá-las com amor.


Alguns gestos são comuns nesse dia, como, por exemplo, o gesto de levar flores aos túmulos de nossos entes queridos. Esse gesto simboliza nosso carinho e amor pelas pessoas que passaram pela nossa vida fazendo a diferença. Além disso, as flores simbolizam a vida, que não termina na morte, mas se renova. Como reza a Liturgia da Igreja, no ritual das exéquias: “Senhor, para os que creem em vós, a vida não é tirada, mas transformada. E desfeito nosso corpo mortal, nos é dado nos céus um corpo imperecível”.


O Dia de Finados é um convite a todos nós para que vivamos com fé e alegria a nossa vida, tendo sempre presente que nossa passagem pelo mundo é um momento bastante curto, mas que nascemos para algo muito maior e mais duradouro: a vida junto de Deus, que nos ama e nos fez por amor e para o amor.

ORIGEM: Desde o século II, alguns cristãos rezavam pelos falecidos, visitando os túmulos dos mártires para rezar pelos que morreram. No século V, a Igreja dedicava um dia do ano para rezar por todos os mortos. Desde o século XI os Papas Silvestre II (1009), João XVII (1009) e Leão IX (1015) determina que seja dedicado um dia aos mortos da comunidade. No século XIII o dia anual dedicado aos mortos passa a ser comemorado em 2 de novembro, porque 1 de novembro é a Festa de Todos os Santos.

CHAMADOS À RESSURREIÇÃO – Na Profissão de Fé rezamos: Creio na ressurreição, creio na vida eterna. Que essa fé nos impulsione na caminhada até Deus, seguindo os ensinamentos de Jesus Cristo. Assim construiremos uma vida feliz que se realizará de forma plena e perfeita após a morte, quando seremos envolvidos pelo abraço amoroso de nosso Pai. Somos chamados à ressurreição com Cristo. Por isso o Dia de Finados é um convite a celebrarmos a vida e a esperança

Fonte: Internet

Compartilhar em:

1 comentário

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.