Presos realizam limpeza em terrenos de UPA e hospital de Pau dos Ferros

As pessoas cobram que os presos de justiça deveriam trabalhar e não ficar ociosos, apenas comendo e dormindo, por conta do Estado. Um exemplo de como isso poderia ser mudado, é dado pela direção da Penitenciária Estadual de Pau dos Ferros.

Internos privados de liberdade da Penitenciária Estadual de Pau dos Ferros realizam a limpeza e capinagem no prédio da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e do terreno do Hospital Regional do município. O serviço é realizado por meio de um convênio entre a Prefeitura e a Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP). Na próxima semana, os presos do “Projeto Reciclando Vidas” deixarão as celas para prestar serviços de limpeza nos bairros da cidade. Tudo supervisionado de perto pelos policiais penais e com aval da Justiça. 

Os presos já prestaram serviços no cemitério público, antecipando as visitas do Dia de Finados, e na sede da Secretaria de Obras da cidade. No cronograma de atividades estão a limpeza de ruas nos bairros da Sema, Nações Unidas e Aluísio Diógenes.

Todas as atividades são informadas à Justiça para que a pena possa ser remida em um dia para cada três dias trabalhados. Nessa primeira etapa trabalham oito internos. O convênio de cooperação para inclusão de mão de obra carcerária em ciclos produtivos de confecção de bens e prestação de serviços foi formalizado em setembro. O convênio foi assinado entre o secretário da SEAP, Pedro Florêncio, e a prefeita Marianna Almeida. “O sistema prisional está sob controle e em segurança, avançando em ações de ressocialização. O preso que dava trabalho, agora trabalha”, disse o secretário. 

OUTROS SERVIÇOS

A SEAP firmou convênios com outras secretarias de Estado que permitem o trabalho de limpeza, reforma e manutenção de prédios públicos. Por meio das parcerias foi possível consertar mil carteiras escolares e dezenas de macas hospitalares, além de reformar os hospitais Maria Alice Fernandes, Giselda Trigueiro e João Machado. Internos do sistema penitenciário também reformaram a Casa de Apoio Esperança e a Escola Estadual Tiradentes, sede do Grupamento dos Bombeiros Mirins. Eles também fizeram capinagem e limpeza na Escola Machadão de Ponta Negra, no Laboratório de Análises Clínicas, no Hospital Tarcísio Maia, no Instituto de Neuro Ciências e no Parque Industrial de Macaíba. 

Em Mossoró, a SEAP implantou o Projeto Cultivando a Cidadania, que produz mudas de cajueiro para os afetados pela seca, e o cultivo de hortaliças orgânicas para doação a instituições carentes da região.

A pasta identificou os internos que trabalhavam como pedreiro, marceneiro, encanador, soldador, mecânico, eletricista, pintor, vidraceiro, gesseiro, agricultor, costureiro, técnico em ar condicionado, serralheiro, vidraceiro, cozinheiro, funileiro, carpinteiro, e assistentes de serviços gerais. Eles são classificados em relação a disciplina e voluntários para se candidatarem ao serviço. 

Compartilhar em:

2 Comentários

  • Aécio Medeiros da Silva disse:

    Essa é uma brilhante atitude tomada pelos órgãos de segurança com a participação da justiça para a reinserção dos prisioneiros na sociedade livre. Parabéns!

  • Aécio Medeiros da Silva disse:

    Essa é uma brilhante atitude tomada pelos órgãos de segurança com a participação da justiça para a reinserção dos prisioneiros na sociedade livre. Parabéns!

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.