Prefeitura de São José de Mipibu precisa fiscalizar revenda irregular de gás de cozinha

Foto: Ilustrativa

A Prefeitura Municipal de São José de Mipibu, através da secretaria competente, precisa fiscalizar pontos suspeitos de atuarem com a revenda clandestina de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), tanto na cidade , como nas comunidades rurais.

A venda clandestina de gás é considerada crime contra ordem pública, previsto no artigo 1º, da lei nº 8176/91, com pena de um a cinco anos de detenção. Por isso necessita de uma fiscalização rigorosa já que os pontos considerados sem autorização da Agência Nacional de Petróleo (ANP) para comercializar GLP, em desacordo com a lei nº 8176/91 e resolução da ANP.

O GLP é um produto altamente inflamável, que quando armazenado em condições inadequadas pode provocar explosões. O consumidor que compra  esse produto, está colocando em risco a vida de sua família e sendo lesado financeiramente.. 

No dia 9 de abril, uma explosão causada por vazamento de gás, deixou seis pessoas feridas e destruiu quatro imóveis,no bairro das Rocas, na Zona Leste de Natal, deixando Maria do Socorro, seu esposo de Antônio José da Silva, de 53 anos e o filho, Adriano Souza da Silva, 28 anos, que morreram na última sexta-feira (16), também vítimas da explosão. Aparecida de Souza e Silva, de 24 anos, filha de Maria do Socorro, chegou a ser internada e recebeu alta na semana passada. Uma criança de 4 anos que estava na casa continua internada na UTI pediátrica do Walfredo Gurgel, e, segundo nota do hospital, tem o quadro estável, respondendo bem ao tratamento.

Compartilhar em:

2 Comentários

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.