PM do RN poderá ter câmeras nos uniformes ainda no primeiro semestre deste ano

Foto: Karime Xavier/Folha Press

Um projeto-piloto que prevê a instalação de 15 câmeras de monitoramento nas fardas de policiais militares do Rio Grande do Norte – tecnologia que já é utilizada em estados como São Paulo – deverá ser colocado em prática no primeiro semestre deste ano, de acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed). O processo licitatório foi finalizado no último dia 20 de janeiro e o próximo passo é a assinatura do contrato com a empresa Advanta, que será a responsável por fornecer os equipamentos, treinar os agentes e prestar assistência técnica por três anos após a entrega dos itens.

Cada câmera – junto com os softwares de gerenciamento – custa cerca de R$ 33 mil. Ao todo, a iniciativa foi orçada em R$ 500 mil e é viabilizada por uma emenda do senador Styvenson Valentim, do Podemos RN.

Neste primeiro momento, as câmeras serão acopladas nos uniformes dos militares da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam). “A Rocam tem uma mobilidade maior, visibilidade maior, a abordagem é diferente. No futuro, se a gente conseguir recursos para alugar ou fazer aquisição dessas câmeras, claro que vamos estender para as demais viaturas”, ressalta o coronel Francisco Araújo, titular da Sesed.

O treinamento deve durar entre cinco e sete dias, tanto para o efetivo que utilizará os equipamentos quanto para o pessoal responsável pelo gerenciamento da plataforma, retirada de imagens e análise de informações. “É nessa média porque o ‘treinador’ pode formar o multiplicador que vai ensinar o pessoal que vai operar as câmeras”, explica o major Leonardo Araújo, subcoordenador de Projetos e Convênios da Sesed.

As câmeras corporais são equipamentos acoplados à farda dos agentes e podem fazer registros em áudio e vídeo, além de transmissões ao vivo e fornecer localização em tempo real. Esse tipo de câmera também permite o monitoramento remoto e o armazenamento do conteúdo em nuvem. A tecnologia é fixada junto ao uniforme do policial militar com o objetivo de registrar as operações das quais o agente participa para evitar excessos por parte dos agentes e resguardar os próprios policiais de falsas acusações, por exemplo.

Do Nísia Digital

Compartilhar em:

1 comentário

  • Aécio Medeiros da Silva disse:

    É, realmente, necessário o comando policial acompanhar as abordagens feitas pelos seus comandados para evitar excessos e abusos de poder.

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.