Partida de Ivanildo “Sax de Ouro” deixa saudades de amigos e admiradores

Ivanildo, o eterno “sax de ouro”, partiu neste sábado (11), aos 89 anos de idade. Nascido em Pernambuco, Ivanildo foi registrado no Ceará. Anos mais tarde, mudou-se para Parnamirim, no Rio Grande do Norte, onde viveu até sua morte. Ivanido deixa a esposa, Maria Lúcia Sampaio; quatro filhos (Ivanildo Filho, Cristina, Ana Lúcia e Gilson); cinco netos; seis bisnetos, amigos e incontáveis fãs e admiradores do seu trabalho.

O saxofonista começou seus estudos aos 12 anos, na Escola de Música do Colégio Salesiano de Recife-PE. Os pais queriam que fosse advogado, mas a paixão pelo Saxofone falou mais alto. Fã incondicional de Charlie Parker, Ivanildo, colecionou fotos antigas e quase todos os discos do ídolo Charlie Parker.

Foi escolhido o Melhor Saxofonista do Nordeste e homenageado pela Força Aérea Brasileira (FAB) com a Medalha do Mérito Santos Dumont.

Amigos e admiradores prestaram homenagens ao grande músico

CHICO BEETHOVEN – Saxofonista influenciado por Ivanildo

Chico Beethoven foi um de vários saxofonistas influenciados por Ivanildo. A relação dos dois começou quando Chico ainda era uma criança, com oito anos de idade. Na ocasião, ele foi presenteado com uma camisa e um disco autografados, guardados até hoje. “Ele influenciou uma geração do saxofone. Quem tem hoje 30 anos ou mais, ele influenciou todo mundo. Deixa um legado grande”, disse o amigo do Sax de Ouro.

Devido a seu grande sucesso, o saxofone foi praticamente incorporado ao nome de Ivanildo. Durante sua carreira, o músico vendeu mais de dois milhões de cópias de seus álbuns, o que lhe rendeu um álbum de platina e quatro de ouro. O codinome “Sax de Ouro” surgiu na década de 1960, quando Ivanildo tocava pelos clubes de Fortaleza. A alcunha foi-lhe dada pelo jornalista Bayard, do extinto jornal Correio do Ceará, em uma de suas colunas no periódico. O nome pegou e, desde 1979, Ivanildo passou a assinar seu trabalho como Sax de Ouro.

Com mais de 70 anos de carreira e já doente, Ivanildo nunca deixou de compor. “Quando já estava doente, ele disse que tinha uma música para mim, mas que ia esperar ficar bom e me ligava. Mas nunca mais ele me ligou”, lembra Beethoven. Sem perder a veia musical, Ivanildo aproveitou o sucesso do piseiro para, em 2021, lançar uma música no ritmo para sua neta.

DE GUTENBERG COSTA – Escritor e Folclorista

A música potiguar está de luto. Faleceu Ivanildo Sax de Ouro. Pernambucano de nascimento, mas potiguar de coração, Ivanildo dedicou sua trajetória musical ao Saxofone durante quase 70 anos. Ivanildo gravou 29 álbuns e vendeu mais de 2 milhões de cópias, um disco de platina e quatro de ouro. Fã confesso de Charlie Parker e Mozart , Ivanildo recebeu inúmeros prêmios de Melhor Músico, Solista e Instrumentista. Aposentado pela Força Aérea Brasileira, Ivanildo também recebeu a medalha Santos Dumont. A Prefeitura do Natal, através da Secretaria de Cultura (Secult-Funcarte) e seu corpo de funcionários, se solidariza com familiares e amigos neste momento. Ivanildo foi um dos ícones da música instrumental potiguar e deixa seu legado para as novas gerações”.

DE ANTONIO AMARAL – Escritor e músico. Ex presidente do Conselho Estadual de Cultura de Sergipe.

“Amigo Gutenberg. Após receber tua notícia sobre o passamento de Ivanildo “Sax de Ouro”, fiquei, momento a momento, a observar as manchetes de rodapé da Globo News. E, para surpresa minha, não vi constar a notícia de que Ivanildo  havia desencarnado. Fala-se tanto que os modernos meios de comunicação estreitaram as relações e aproximaram estados e cidades, todavia, observa-se que não é bem assim. No Brasil há uma grande  dificuldade de um artista da música instrumental fazer sucesso. E quando é da região Norte ou Nordeste, os obstáculos são maiores ainda. Mas, Ivanildo era uma grande exceção.  Vinte e nove álbuns gravados, dois milhões de cópias vendidas, quatro discos de ouro e um disco de platina são uma prova inconteste de sua popularidade, num país de contrastes, da imposição de costumes e práticas culturais das regiões mais afortunadas sobre as demais. Devemos ressaltar que durante toda a sua trajetória musical foi um  vitorioso. Atingiu uma marca exemplar de 29 discos gravados. Portanto, o nome de Ivanildo “Sax de Ouro” estará para sempre  registrado nas obras sobre a música instrumental no Brasil”.

DE AMAURI FREIRE – Animador Cultural

“Partiu hoje o maior saxofonista que eu vi tocar em toda a minha vida. Assisti várias vezes em São José de Mipibu, apresentando-se em eventos no Centro Social e na Associação Esportiva Mipibuense. Tive a felicidade de ver, talvez, uma de suas últimas apresentações, no Festival de Jazz de Parnamirim, em 2019. Com a idade já bem avançada, fez uma participação especial com a Orquestra da Aeronáutica, uma cena inesquecível para todos os que tiveram a sorte de estar ali naquela noite. A música brasileira perde um dos seus maiores mestres do gênero instrumental”.

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.