Padre Lenilson orienta sobre missas e outras celebrações na paróquia de São José de Mipibu

Depois da decisão desta quinta-feira (8), do Supremo Tribunal Federal – STF a respeito da competência dos Estados e Municípios para emanar decretos envolvendo as Igrejas  e religiões em geral,  surgiram dúvidas entre os paroquianos a respeito das missas e celebrações da Palavra e outras orações na Igreja matriz e capelas, diante disso, o blog O ALERTA entrevistou padre José Lenilson, pároco da Paróquia de Sant’Ana e São Joaquim.

“Informamos que a decisão do STF não altera em nada a nossa programação, uma vez que a Arquidiocese de Natal já vinha cumprindo rigorosamente os decretos do Governo do Estado do RN desde o início da pandemia.

Portanto, reafirmamos o que já é do conhecimento de todos: o decreto atual é válido até o dia 16 de abril; as missas, celebrações e outras orações podem ser realizadas na Igreja Matriz e capelas durante a semana, de segunda-feira à sábado, durante o dia ou, início da noite, com término no máximo às 19h30. Importante respeitar o limite de 20% da capacidade de cada templo e as demais regras de distanciamento e higienização”, lembra o sacerdote.

E ainda, informa padre Lenilson: “o decreto do Governo não permite celebrações religiosas depois das 20h , devido o “toque de recolher”, por esse motivo, também, não é permitido celebrações aos domingos. Na Igreja matriz, as missas dominicais de preceito, serão antecipadas para os sábados, no horário das 16h e 18h. Para participar das missas aos sábados, é necessário fazer o agendamento na Secretaria Paroquial. De terça a sexta-feira, as missas serão celebradas às 7h da manhã, sem precisar de agendamento”.


“Nas capelas, as missas serão agendadas previamente entre os padres e os animadores das comunidades. Mas é possível celebrar a Palavra, rezar o terço e promover outros pequenos momentos de oração em cada capela, como já dito”, informa.

“Depois do dia 16, veremos como ficará a nossa organização a partir do novo decreto e das orientações dos Bispos da Província Eclesiástica do RN”, diz o pároco de São José de Mipibu.

2 Pessoas comentaram
Santiago Nunes Dos Santos Filho

Que bom exemplo.

Terezinha Tomaz

Exemplo pra ser seguido!

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.