Onde estão os discos voadores?

Valério Mesquita – [email protected]

O oculto está à nossa volta. O mistério circunda as nossas vidas. Quando Jesus virá novamente? Quero trazer sempre à memória aquilo que me dá esperança. Por isso, creio no invisível para não me suicidar no palpável. O visível encerra vícios redibitórios. Mas, também, sem ser ufólogo, preocupo-me com os extraterrestres que sobrevoaram o mundo tantas vezes e hoje, em que galáxia se escondem? Desde o início do Século XX, ocorrências de objetos voadores não identificados foram manchetes de jornais em todo o mundo. Avistados por milhares de pessoas, fotografados, filmados, televisionados e até restos de naves foram recolhidas para exame, sem explicações satisfatórias até agora.

Observador atento dos canais de televisão nacionais e internacionais e dos jornais, nunca mais tomei conhecimento de nenhuma aparição luminosa nos céus que me devolvesse a curiosidade científica ou a percepção da existência de seres interplanetários, como aprendi na meninice com “Flash Gordon”. Outros, impressionados, chegaram a indagar: “Seriam os deuses astronautas?” A terra, pelos seus governos, preocupou-se bastante, por décadas, com os recados dos céus. Mas, surpreendente e inimaginável é o fato dos discos voadores não aparecerem mais no firmamento. “Não há mais registros, nem aqui, nem alhures”, como dizia o saudoso amigo e jornalista Paulo Macedo.

O sentimento atávico do homem pelo sobrenatural não é apenas bíblico. Remonta às civilizações pagãs que procuravam ler e decifrar o que se achava escrito nas mais remotas estrelas. Os astrólogos, os poetas, os feiticeiros, todos, usaram as sombras, os símbolos e os fantasmas do espaço infinito como veículos cambiantes de suas crenças. E como eram líricas as circunvoluções dos discos a ponto de me induzir a voar com os marcianos (planeta Marte), de onde achávamos provenientes. A chegada do homem à lua, vaga, vazia e vadia, muito me decepcionou. Tornou-se um celeste santuário mórbido, seduzido e abandonado.

Onde estão os objetos voadores não identificados? Por que não se comenta mais sobre eles? Não posso crer que tudo foi uma farsa. Ilusão, obra inventiva do homem. Que doce e sedutor enigma não vestiu os dias e as noites do mundo no século vinte! Resta-me indagar sobre o silêncio, a invisibilidade, o desaparecimento e o mistério que ficou de tudo isso. Persiste algo oculto por acontecer? Continuamos sozinhos no universo? O ser humano não pode viver sem mistério, sem verdade de fé inacessível à razão. E viva a ufologia!

Compartilhar em:

1 comentário

  • Aécio Medeiros da Silva disse:

    Amigo Dedé, eu quando jovem , da calçada da casa dos meus pais, juntamente com uma moça que morava conosco, vimos durante um por do sol, uma desses ovnis que sobrevoou muito rapidamente os arredores de Jardim do Seridó. Até hoje tenho guardado em minha mente aquele momento inesquecível. Fiquei muito apreensivo e com medo.

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.