“O povo me ama”, diz Bolsonaro a repórter da Itália

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta segunda-feira (1º), durante entrevista a uma jornalista italiana, que o povo brasileiro o “ama”. Durante a declaração, Bolsonaro citou as motociatas com apoiadores, realizadas por diversas cidades brasileiras.

“Me acusam de tudo, não provam nada e o povo me ama. Viu meus passeios de moto pelo Brasil. Centenas de milhares de motociclistas me acompanham, como no sábado próximo vou estar no Paraná dando um passeio de moto. O povo acompanha a gente”, afirmou.

Pesquisa PoderData mostrou que a taxa de reprovação à gestão federal está em 58%. O Governo Bolsonaro possui 33% de avaliação positiva.

Bolsonaro comparou a situação inflacionária do Brasil com a da Itália. Disse que a alta no preço dos combustíveis é consequência da política do “fique em casa”, adotada no mundo inteiro para frear o avanço da covid-19. Em setembro, a inflação no Brasil foi de 1,16%, maior percentual para o mês desde 1994.

“Demos mais de US$ 100 bilhões para governadores e prefeitos e para atender a população obrigada a ficar em casa, não pelo governo federal, mas por imposição de governadores e prefeitos, que perderam tudo, não tinham o que comer”, disse.

Ainda sobre as ações adotadas pelo Governo Federal para combater a pandemia, o presidente afirmou que investiu na autonomia dos médicos para tratar a doença. Ele também falou sobre o kit covid, composto, entre outros medicamentos, por hidroxicloroquina e ivermectina. Não há evidências que comprovem a eficácia desses remédios no tratamento da covid-19.

“Eu tomei hidroxicloroquina. Milhões de pessoas tomaram, quem tomou não teve problema nenhum, mas hidroxicloroquina e ivermectina foram politizadas de modo que começaram a perseguir médicos que receitavam esse medicamento. A verdade: ele cura, curou a mim”, falou.

Bolsonaro criticou a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado. Segundo ele, a comissão foi criada para desgastar sua imagem, mas não conseguiram. “Me acusando de ter matado índios, matado pessoas, falsificado documentos, não participei de compra de nada, me acusaram de tentativa de suborno, viraram minha vida toda”, completou.

Não pega fogo

Bolsonaro afirmou também que o Brasil concorre com as commodities da França, país que, segundo ele, é responsável por grande parte das críticas ao desmatamento na Amazônia. O presidente atribuiu a dificuldade de preservação da floresta ao seu tamanho.

“Amazônia não pega fogo, é uma floresta úmida, é maior que a Europa ocidental, imagine o tamanho dela, a dificuldade para preservá-la, mas no corrente ano, mesmo com falta de chuva, nível de desmatamento e queimada cai bastante.”

O presidente viajou para a Itália para participar da cúpula do G20, que ocorreu em Roma no último fim de semana. O ministro Paulo Guedes o acompanha.

Poder 360º (Esta reportagem foi produzida em colaboração com a estagiária de Jornalismo Vitória Queiroz e supervisionada pela editora-assistente Amanda Garcia)

Compartilhar em:

2 Comentários

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.