O poder do afeto

Nadja Lira – Jornalista • Pedagoga • Filósofa

O acúmulo de responsabilidades, a correria estafante do dia-a-dia e a competição natural na qual o ser humano é envolvido pelo mundo globalizado, está afastando das pessoas a capacidade de alimentar sentimentos de amizade e de afetividade – armas poderosas que podem contribuir para despertar nas crianças o interesse pelo aprendizado.

A ideia de que a afetividade pode ser um grande aliado dos profissionais da área de Educação foi-me despertada após assistir ao filme Gênio Indomável, estrelado pelos atores Matt Damon, Ben Affleck e Robin Williams.

O filme conta a história de Will Hunting, um jovem com uma notável capacidade para a Matemática. Órfão, mora sozinho num quarto e uma das suas principais características é se meter em encrencas, o que o leva a acumular várias passagens pela Polícia.

Trabalhando como faxineiro no Massachusetts Institute of Technology (MIT), onde o professor Lambeau dá aulas de Matemática Combinatória, ele resolve um complexo teorema que o professor havia passado como desafio para seus alunos. Todos se surpreendem quando o teorema aparece resolvido, sem que ninguém saiba quem foi o autor da proeza. O professor acaba descobrindo e torna-se uma espécie de tutor do jovem, prestes a ir novamente para a cadeia por ter agredido um policial.

Will livra-se da prisão, mas o juiz impõe duas condições para mantê-lo em liberdade: Ele teria que frequentar as aulas do professor Lambeau e participar de sessões de psicoterapia.

Depois de consultar alguns terapeutas, sem sucesso, Lambeau decide chamar um ex-colega de escola, Sean, um psicólogo nascido em South Boston, o qual consegue conquistar a simpatia e a confiança do rapaz. Sean conseguiu através da afetividade, o que os outros terapeutas não conseguiram: livrar Will dos seus fantasmas interiores.

A história é pura ficção, mas como a vida imita a arte, decidi testar a teoria. Como professora do Ensino Fundamental, vinha tentando exaustivamente, descobrir estratégias para incutir nos meus alunos o interesse pelo estudo e confesso que em determinados momentos pensei que esta luta seria inglória. No início deste ano, porém, percebi que carinho e afeto são ingredientes muito importantes para melhorar o aprendizado e o relacionamento com as crianças.

Foto Adrovando Claro

Isto porque, em um determinado momento tomei a decisão de me transformar em uma professora inesquecível para a minha turma: daquelas que os alunos vão lembrar com saudade por toda a vida. A grande dificuldade consistia em descobrir como realizar tal tarefa. Passei então, a dar mais atenção às crianças, retribuir com entusiasmo os abraços, os beijos e o lanche.

Durante as aulas expositivas passei a fazer encenações na sala de aula, bem como elogiar qualquer iniciativa delas, na resolução das atividades, o que tem elevado sua autoestima. A ideia, surgida de forma intuitiva e considerando algumas conversas com a Coordenadora Pedagógica da escola superou minha expectativa, porque o rendimento da turma melhorou, assim como também foi reduzido o número de faltas.

Foto Ilustrativa

Se vou me tornar inesquecível na vida deles, somente o tempo poderá dizer. De uma coisa, porém, de uma coisa tenho certeza: a mudança da minha postura melhorou nosso relacionamento, transformou-nos em amigos, parceiros e cúmplices na busca de um objetivo, que é o conhecimento.

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.