Moradores de Laranjeiras do Abdias reclamam dos buracos que tornam rodovia RN-317 quase intransitável

Laranjeiras do Abdias é um dos maiores aglomerados populacionais de São José de Mipibu. Lá, os moradores sofrem há anos com os buracos na rodovia estadual RN-317, que liga São José de Mipibu à cidade de Brejinho.

Vez por outra, o Governo do Estado, através do Departamento de Estradas e Rodagens -DER, realiza serviços de tapa-buracos, que não duram muito tempo. Logo, os buracos voltam a infernizar a vida de quem mora nas redondezas. Com a últimas chuva, a situação piorou ainda mais.  

A professora Ana Ferreira,residente em Laranjeiras do Abdias e que usa diariamente o trecho, escuta as reclamações dos moradores e relata como está a situação, ao mesmo tempo em que cobra providências dos órgãos competentes. 

Professora Ana Ferreira: Serviços foram suspensos e os trabalhos, não chegaram a concluir

“Sou moradora de Laranjeiras do Abdias, a buraqueira na rodovia RN-317, que liga a comunidade de Ribeiro a Laranjeiras do Abdias e a vizinha cidade de Brejinho, está uma uma forma caótica, intransitável. No ano passado, o DER iniciou uma operação tapa-buraco. Só iniciou… e depois foi suspenso os trabalhos, não chegando a concluir”, declara a professora.

E faz um apelo: “Estamos necessitando que o poder público, através do prefeito José Figueiredo e vereadores, se unam para reivindicar a Governadora do Estado, o serviço de recapeamento dessa importante rodovia, que é a RN-317“.

O diretor do DER, Manoel, agora não tenho como agir por contas das chuvas. Não tenho condições de trabalhar nesse período de chuvas. Não consigo trabalhar com essas chuvas. Estou aguardando para aguardar o fim do período dessas chuvas.

Outro problema citado pelo diretor do DER, é o problema financeiro que a governadora Fátima Bezerra está vendo isso, já que manutenção e conservação de rodovia é serviço permanente.

No ano passado a governadora alocou R$ 17 milhões. Muitos pensam que esse dinheiro é eterno. O ideal é R$ 45 milhões/ano, para manutenção e conservação.

Na verdade a solução é uma restauração, que custa R$ 800 mil, o quilômetro. O maior problema dessa rodovia RN-317 é a drenagem. Começamos o serviço, até a comunidade de Manimbu. Tinha muito serviço no acostamento para drenar que a funcione, tirando as águas ao lado da rodovia. Vou tentar fazer um tapa-buraco para manter a rodovia transitável mas, só posso fazer após terminar as chuvas, concluiu.

Incluindo informação do Blog João Maria Freire

3 Pessoas comentaram
Terezinha Tomaz

Agora que as chuvas começaram, tem que o governo rever esse caso.

Helio

As palavras são sempre as mesmas,todos os anos,não tem dinheiro,as chuvas não param,teve um empasse,e isso e aqui, mas esse problema não e de hoje,nem de ontem, e de anos, sempre a mesma promessa,vamos resolver e nunca resolve.😡😡😡😡

Pe. Lenilson Morais

Falta percepção de que uma estrada nessas condições gera um prejuízo enorme para todos. Com estradas boas: todos ganham: comércio, feirantes, agricultores, fazendeiros, Turismo, Município, Estado… todos mesmo.

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.