Ministério da Saúde investe R$ 648 mil para fornecer órteses e próteses à população do RN

Para ampliar a atenção integral e gratuita à saúde da pessoa com deficiência por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) no Rio Grande do Norte, o Ministério da Saúde habilitou, nesta quinta-feira (18), uma oficina ortopédica na capital do estado, Natal. Com investimento do Governo Federal em torno de R$ 648 mil, a oficina tem como objetivo promover o acesso do cidadão às órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção.

A iniciativa é uma importante estratégia para garantia da acessibilidade e inclusão social pela rede pública de saúde. Entre outros instrumentos, as oficinas produzem e oferecem, gratuitamente: coletes, palmilhas, calçados ortopédicos, cadeiras de rodas adaptadas, bengalas, muletas, andadores, aparelhos que corrigem alterações auditivas e diversos dispositivos para pessoas com deficiências físicas e outros tipos de deficiências.

E isso é essencial visto que auxiliam pessoas com deficiência a desempenharem suas atividades cotidianas. Além disso, os equipamentos promovem a reabilitação e melhoram as funções motoras, físicas, auditivas, visuais e até de ostomias (processos cirúrgicos que envolvem o aparelho digestivo ou urinário, conforme cada caso). Com as oficinas, o acesso é facilitado, dando mais autonomia e qualidade de vida a quem não tem condições para adquirir equipamentos com recursos próprios.

Nas oficinas, os aparelhos são pensados de forma individualizada, de acordo com as necessidades e características de cada pessoa. Os técnicos realizam diversas provas nos pacientes até encontrarem as medidas e adaptações ideais para as necessidades de cada um, considerando o grau de capacidade funcional e suas principais características. O serviço é totalmente custeado pelo SUS e a confecção dos dispositivos 100% gratuita.

Os atendimentos também ocorrem por meio de equipes multiprofissionais de reabilitação, com foco na qualidade e necessidade dos pacientes. Para ter acesso ao serviço ofertado pela Oficina Ortopédica, o cidadão deve procurar a secretaria de saúde municipal e se informar sobre o atendimento e os serviços de reabilitação disponíveis na região. Os interessados nas órteses, próteses ou meios auxiliares de locomoção precisam, em primeiro lugar, procurar atendimento na atenção primária por meio de uma Unidade Básica de Saúde.

Na UBS, os profissionais farão o encaminhamento para um Centro Especializado em Reabilitação, ponto de atenção ambulatorial especializado em reabilitação que realiza diagnóstico, tratamento, concessão, adaptação e manutenção de tecnologia assistida. Após ser atendido no centro, o profissional verifica se há necessidade de alguma órtese ou prótese e, se for o caso, encaminha para a oficina ortopédica.

Fonte: Portal Grande Ponto

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.