Jornalismo com ética e coragem para mostrar a verdade.

junho 10, 2024

Hospital Walfredo Gurgel registra 186 atendimentos de vítimas de queimaduras em 2024

O Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel recebeu, nos primeiros cinco meses de 2024, 186 pacientes vítimas de acidentes com queimaduras.

O Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel recebeu, nos primeiros cinco meses de 2024, 186 pacientes vítimas de acidentes com queimaduras. As queimaduras são divididas em: térmicas, químicas e elétricas, sendo as mais comuns as térmicas. No mês de junho, o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), que faz parte do maior hospital do Estado, alerta sobre os perigos dos acidentes com fogos de artifício e fogueiras.

Durante o ano de 2023, no período de fevereiro a maio, o CTQ registrou 207 atendimentos de pacientes com queimaduras, sendo 43 casos de internação. No mesmo ano, a taxa de mortalidade dos pacientes internados foi de 9,68 para queimaduras térmicas, 14,29 para queimaduras químicas e 33,33 para queimaduras elétricas.

O mês de junho marca a campanha de conscientização sobre o perigo de acidentes de queimaduras, mas entre as causas estão também os líquidos quentes, choque elétrico, álcool líquido e álcool combustível.

Campanha Junho Laranja: médico alerta sobre perigo de acidentes

A Associação Médica, localizada na Avenida Hermes da Fonseca, no Tirol, foi palco de iniciativa em prol da segurança e prevenção de acidentes. Nesta quinta-feira 6, Marco Almeida, cirurgião plástico e coordenador do Centro de Tratamento de Queimaduras do RN, debateu a Campanha Junho Laranja de Prevenção a Queimaduras.

“O objetivo dessa campanha é chamar a atenção e ampliar a conscientização da população em relação ao que a gente precisa fazer para diminuir o número de acidentes, principalmente domésticos, que é onde 80% dos acidentes acontecem, dentro de casa e principalmente dentro da cozinha”, afirmou ele.

O especialista destaca a importância de ter cautela durante as festividades juninas, período em que o uso de fogos de artifício e fogueiras é comum. “Minha sugestão é que não se dê nenhum tipo de fogos para criança porque criança, mesmo com chumbinho ou chuveirinho, pode lesar uma córnea e levar à cegueira”, alertou.

“Uma das coisas que a gente tem que chamar atenção é que quase 50% das mortes são por eletricidade. Más condições de eletrodomésticos, fiação, e gente mexendo onde não deve, em cima do telhado, roubando o cabo de poste, tentando arrumar antena de televisão”, disse.

O médico destaca os primeiros socorros adequados para queimaduras: “Os primeiros cuidados são lavar abundantemente a área queimada, cobrir com um pano limpo e levar imediatamente para o médico em um pronto atendimento, em uma UPA, em um pronto-socorro”, concluiu.

Os comentários estão desativados.