Fred, ídolo do Fluminense, fala sobre sua doença no olho e revela ter labirintite

Fred em coletiva de imprensa após sua despedida Foto: Leonardo Brasil/Fluminense F.C.

O último sábado (09), foi emocionante para os torcedores do Fluminense. Em um Maracanã lotado, o clube garantiu a vitória sobre o Ceará, e se despediu de Fred, um de seus maiores ídolos. Na coletiva de imprensa após a partida, o Dom comentou sobre a diplopia, um problema de visão que o incomoda desde 2020, e forçou a sua aposentadoria.

“Na minha reestreia (pelo Fluminense), a bola sobrou na pequena área. Estava paradinha, eu ia fazer um gol de bicicleta, mas furei a bola. Ali eu chamei o doutor e falei: “Não estou enxergando direito tem dois anos e meio, queria uma ajuda”. Eu levei um médico de um amigo na minha casa, quando ele viu meu pescoço tombado falou: “Isso aí é olho”. Me levou para a Dra. Andrea Zin, e aí passei por aquela cirurgia. Naquele ano, eu estava com grau oito de lesão, em um músculo atrás do olho. Operei e fiquei bem. Joguei Libertadores, Brasileiro, tudo bem. Agora voltou”, disse Fred, antes de completar: “Voltei na doutora e está grau três. Ela falou: “Fred, qual a sua programação? Porque para a vida normal você vive bem. O problema é movimento brusco, tomar encontrão, girar”… Eu optei por não operar, porque não é operatório, e falei que ia confirmar minha aposentadoria. Mas coincidiu com a chegada do Diniz. Ele fez de tudo para eu permanecer, mas reuni todo mundo e abri o jogo. Falei que ia parar, me afastei por 25 dias, precisava desse repouso para ver se ia voltar ao normal ou não, e realmente não voltou. Então optei por parar”, comentou o agora ex-atacante.

Ainda na coletiva, Fred revelou que também passa por mais um problema de saúde. Quando ainda defendia o Atlético-MG, em 2017, o jogador foi diagnosticado com labirintite.

“Em 2017 eu jogava pelo Atlético-MG e comecei a me sentir tonto. Estava em uma fase muito boa, mas o Dr. Rodrigo Lasmar me afastou por uma semana e meia para fazer exames no cérebro. Estava me causando desequilíbrio, eu corria meio que tropeçava, enxergava duas bolas… Foi descartada lesão do cérebro. Depois eu fiz no ouvido, repararam que eu tinha labirintite. Fiquei tomando calmante, algumas coisas para labirintite. Fiquei dois anos e meio assim e voltei para o Fluminense em 2020”, finalizou Fred.

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.