Filosofia de minha avó

Nadja Lira – Jornalista • Pedagoga • Filósofa

 

Quando eu era criança, ouvia a minha avó tecer algumas frases, que somente agora, depois de adulta, consigo entender seu significado. As frases cunhadas por minha avó, guardam uma filosofia típica de gente do interior e expressam uma sabedoria cuja profundidade atravessam décadas. Nestes últimos dias acompanhando as notícias de âmbito nacional, informando sobre um tiroteio que culminou com o assassinato de um homem enquanto comemorava seu aniversário, me veio à lembrança uma das frases que a minha avó costumava usar: “Um cão danado, todos a ele”.

A tal frase tem origem portuguesa, conforme explica o Dicionário Informal de Português e refere-se a alguém que é perseguido por todos. No Brasil, o significado da expressão mantém sua origem atribuindo-se a ele, o julgamento apressado de pessoas inocentes julgadas de forma precipitadas. Ou seja, tudo o que ocorre com o Presidente do Brasil.

Vendo as notícias de que o presidente Jair Messias Bolsonaro vem sendo apontado como culpado pelo tiroteio, pela morte de uma pessoa e pelo estado crítico em que se encontra a outra, não pude evitar a lembrança da frase filosófica evidenciada pela minha avó.

Percebi, através das notícias, que alguns políticos contrários às ideias defendidas pelo presidente, o condenam pelo fato ocorrido, mesmo sabendo que o chefe da nação brasileira não se encontrava no local, não fora convidado para o evento e tampouco doou armas mortíferas para os envolvidos na situação.

Políticos e eleitores esquerdistas/esquerdopatas querem porque querem, que Bolsonaro faça um pronunciamento público pedindo desculpas pelo ocorrido. Mas pedir desculpas do quê, cara pálida? Qual é a culpa imputada ao homem neste latifúndio? Ainda não consegui entender. Afinal, a polaridade existente no Brasil da atualidade não foi criada por este presidente.

Querem criminalizar o presidente por defender o porte de armas e acabam por lhe imputar culpas que ele verdadeiramente não tem. Seria muito mais significativo que os opositores de tal ideia, desarmassem a bandidagem e oferecessem segurança à população de forma proficiente. Assim, nenhum cidadão de bem precisaria de uma arma para defender a si, sua família e sua propriedade.

Surpreende ver, que algumas pessoas se escandalizam e pedem a cabeça do presidente por um ato do qual ele não tem responsabilidade, mas estes mesmos aplaudem Adélio Bispo, que em 2018, tentou tirar a vida do mandatário nacional. Nenhum destes políticos que hoje apedrejam Jair Bolsonaro, se posicionaram contra a tentativa de assassinato que ele sofreu. Ou quando as pessoas jogam bola com sua cabeça, ou quando dramatizam sua morte, como aconteceu recentemente no aeroporto de Brasília. O presidente eleito de forma democrática pode ser achincalhado, sem que ninguém seja importunado por tais práticas.

Ao contrário: alguns chegaram a afirmar que o tal Adélio não tinha feito o serviço direito, num claro desrespeito à vida humana. Muitos chegaram ao cúmulo de questionar a veracidade da facada, que por pouco não tirou a vida do presidente.

Curioso também é, ver os aplausos que durante esta semana foram dirigidos ao descondensado, ex-presidente Lula, que em recente evento realizado em Brasília, elogiou publicamente ao ex-vereador Maninho do PT pela agressão imposta e que quase levou à morte em 2018, o empresário Carlos Alberto Bettoni, nas imediações do Instituto Lula, em São Paulo.

Por tal agressão, o ex-vereador foi denunciado por tentativa de homicídio e ficou preso por sete meses. Depois de solto, recebeu elogios e o comovido agradecimento do descondensado, além de um cargo público na prefeitura de Diadema, conforme amplamente divulgado pelas redes sociais.

Também causa estranheza verificar, que em 2020, nenhuma voz se levantou quando houve um motim de policiais do 3º Batalhão da Polícia Militar do município de Sobral/CE, e o senador Cid Gomes, irmão do presidenciável Ciro Gomes, pilotou uma retroescavadeira para tenta furar o bloqueio, avançando sobre os militares. Sobre todos estes episódios paira um silêncio catacumbal.

Portanto, acho estranho constatar que tantas vozes se levantem contra Bolsonaro para lhe imputar uma culpa que não lhe cabe, porque este mesmo procedimento não é atribuído a outros. Mas como muito bem afirma a filosofia da minha avó, um cão danado, todos a ele. Avante Capitão! O povo de bem deste país está a seu lado, porque os verdadeiros brasileiros não querem perder sua liberdade e tampouco a cor de sua bandeira.

 

 

 

 

 

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.