Ezequiel é o nome da oposição para o Governo e costura acordo entre Fábio e Rogério ao Senado

Ezequiel poderá ter apoio dos prefeitos de Natal e Mossoró – Foto: Rogério Vital

Presidente da Assembleia Legislativa está sendo cortejado para ser o candidato da oposição e disputar o Governo contra Fátima Bezerra; Ezequiel só precisa resolver o impasse de quem será o seu senador.

A poucos meses das eleições que irão definir quem comandará o Governo do Rio Grande do Norte entre os anos de 2023 e 2026, são intensas as conversas políticas de bastidores. Muitos dos diálogos estão acontecendo nas varandas de veraneio. O político da vez alçado à condição de candidato a governador da oposição é o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), que teve encontros importantes em varandas de praia, entre eles com os dois ministros potiguares, Rogerio Marinho (PL) e Fábio Faria (PSD), além de prefeitos, lideranças e até do ministro José Antônio Dias Tofolli, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Com um projeto estadual bem estruturado, o deputado Ezequiel é visto como nome quase de consenso para liderar uma chapa de oposição e enfrentar a governadora Fátima Bezerra (PT) em outubro. O problema é o tempo que está cada vez mais escasso e alguns desafios que ele precisa transpor, sendo o principal deles o entendimento entre os ministros Fábio Faria e Rogério Marinho. Um dos dois teria que abrir mão e desistir da candidatura ao Senado, pois só há espaço para um candidato. Ezequiel já começou as costuras neste sentido. Além disso, o presidente da Assembleia quer agregar ao projeto os dois principais colégios eleitorais: Natal com o prefeito Álvaro Dias (PSDB) e Mossoró com o prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade).

Rogério Marinho trabalha forte para tornar sua candidatura irreversível – Foto: Reprodução

Há outras difíceis tarefas políticas a serem cumpridas pelo presidente da Assembleia. Uma delas é convencer o deputado federal Walter Alves (PMDB) e o ex-senador Garibaldi Alves (PMDB) a desistirem de embarcar no projeto político da governadora Fátima Bezerra e fazer parte da articulação de oposição. Ezequiel e Walter são grandes parceiros e talvez o primeiro consiga convencer os Alves de recuar do barco petista. Outro desafio de Ezequiel será entregar os cargos que têm no Governo do Estado e assumir publicamente um papel de oposição ao Governo do qual até o momento se mostra aliado.

Fábio Faria vive bom momento e também quer ser candidato ao Senado – Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

De todos os obstáculos, o maior deles será mesmo costurar o consenso entre Fábio e Rogério e fazer um dos dois desistir da candidatura. No fim de semana, alguns blogs chegaram a ventilar a desistência de Fábio Faria, o que foi logo desmentido de pronto pelo ministro, que chegou a classificar de fake News as notícias neste sentido. O eleitor potiguar acompanha o desenho do cenário político perguntando: Quem vai abrir mão e jogar a toalha, Rogério Marinho ou Fábio Faria? Enquanto a resposta não vem, Fátima Bezerra caminha sozinha para tentar a reeleição.

Do Novo Notícias

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.