Diretor do HRMAB fala sobre Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna

Nesta sexta-feira, 28 de maio, Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna o diretor-geral do Hospital-Maternidade Monsenhor Antônio Barros, em São José de Mipibu, Denys Daniel da Silva,concedeu entrevista ao blog O ALERTA e ao Jornal da Olho D’água, sobre a data.

Segundo Daniel, “no início desse mês de maio, tivemos o lançamento do Plano Estadual de Redução da Mortalidade Materno Infantil, esse plano contempla recursos para os hospitais que tem esse perfil e a nossa maternidade se enquadra nisso”.

E adianta: fomos contemplados com 10 leitos neonatal e com equipamentos de saúde,  necessários para a melhoria do atendimento e a qualidade do serviço prestado, passamos a contar inclusive com serviço  de Ultrassonografia e um cardiotocógrafo (aparelho para avaliação não invasiva do bem estar fetal), tudo isso para melhorar a condição e assistência ao parto”.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é image-258-1024x753.png

“O atual governo tem investido estrategicamente no que diz respeito a saúde da mulher e ao combate à mortalidade materna infantil. Só neste período do primeiro semestre de 2021, realizamos quase 4.000 atendimentos e 1.500 partos. Isso são números importantes e expressivos”, salienta Denys.

 A equipe do Hospital Regional Monsenhor Antônio Barros se coloca a disposição de todas as gestantes e parturientes da 1° Região de Saúde, formada por 27 municípios, que necessitar de nossa assistência.

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA

A Secretaria de Estado da Saúde Pública tem dado ênfase aos trabalhos em prol da redução da mortalidade materna no Rio Grande do Norte. Com a chegada do 28 de maio, Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna, a discussão do tema se torna ainda mais relevante.

No ano de 2020 até 2021, o Rio Grande do Norte contabilizou 28 óbitos maternos declarados e 37 óbitos por Covid, mostrando que a redução da mortalidade materna é ainda um grande desafio para os serviços de saúde, gestores e para a sociedade como um todo. É considerado óbito materno quando a morte de uma mulher ocorre durante a gestação ou até 42 dias após o término da gravidez, desde que não seja por causas acidentais ou incidentais.

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.