Com largada em Pipa, Rally dos Sertões começa nesta sexta-feira com 9 potiguares na disputa

O Rally dos Sertões tem sua largada programada para a noite da próxima sexta-feira (13). A primeira marcha da aventura será engatada em Pipa, famosa praia potiguar no município de Tibau do Sul. Entre os competidores, nove vão representar o Rio Grande do Norte.

Leonardo Martins dos Santos e Ypiranga Potyguar de Castro Cortez Junior, ambos de Natal, vão competir nas motos. Maryo Kempes Barbosa (Natal) e João Valetim da Costa Neto (Parnamirim) são pilotos de UTV. 

Além deles, participam como navegadores de UTV: Flavio Marinho de França (Natal), Henrique Augusto Correia de Oliveira (Natal), Wellington Rezende Júnior (Natal), Arthur Gomes Carneiro (Parnamirim) e José de Deus Barbosa Neto (Assú) são navegadores de UTV.

O roteiro será composto por 100% de sertão. Na sexta-feira (13), será realizada a tomada de tempo. Já no sábado (14), a coisa começa para valer. A primeira das nove etapas vai totalizar 415,93 km, saindo de Tibau do Sul até Patos, na Paraíba.

De lá, os competidores vão passar por Araripina/PE, São Raimundo Nonato/PI, Xique-Xique/BA, Petrolina/PE, Delmiro Gouveia/AL, Arapica/AL e encerram em 22 de agosto na chegada em Tamandaré/PE. Ao todo, serão mais de 3,6 mil quilômetros, do quais 2,2 mil serão cronometrados. Essa será a primeira vez que o Rally dos Sertões vai ter chegada em Pernambuco. Além disso, será a estreia de Alagoas no roteiro dos Sertões.

O desafio será encarado por um número recorde de participantes: 192 veículos (3 quadriciclos; 34 carros, 65 motos e 90 UTVs), com um total de 316 competidores, das cinco regiões do Brasil. Pilotos e navegadores representam 116 cidades de 21 estados e o Distrito Federal. A participação estrangeira é assegurada por nomes de outros sete países – França, Estados Unidos, Portugal, Argentina, Polônia, Paraguai e Guiana Francesa.

Nomes das etapas

A região em que o Brasil foi descoberto é, desde os primórdios, sinônimo de histórias, lendas, lugares e personagens marcantes. Imortalizados nos versos de mestres como Ariano Suassuna e João Cabral de Melo Neto e na obra de Euclydes da Cunha. 

Um cenário tão rico só poderia servir de inspiração para o Sertões. Que homenageia o Nordeste ao batizar o prólogo e as nove etapas com nomes que resumem toda sua tradição e diversidade. A cada dia de velocidade e desafio, a caravana vai também mergulhar na história com um quê de poesia.

13/8 – Prólogo – Engenhos

11km

O roteiro do Sertões 100% Sertão começa com a tomada de tempo em Tibau do Sul (RN). O nome “Engenhos” vem da paisagem encontrada durante a prova, que cruza antigos engenhos de cana de açúcar. É no município de Tibau do Sul que fica a famosa praia da Pipa, que leva esse nome por causa de uma pedra que tem o formato de uma pipa. Mas não é dessas que voam. Pipa é também o nome que se dá há uma espécie de barril feito para armazenar bebidas alcoólicas como a cachaça, feita da cana de açúcar processada…Nos Engenhos!

14/8 – Etapa 1 – Seridó

DI – 82,8KM TE – 235,01KM DF – 98,11M = TOTAL: 415,93KM

O que é o Seridó? Seridó é um bioma de transição para a Caatinga, que por sua vez é o único bioma 100% brasileiro! A gente pode até dizer que o Seridó é uma pré-caatinga e bem temida pelos competidores do rally, porque além de areia carrega pedras no meio do caminho. Agora, de onde vem esse nome? De acordo com o famoso historiador Luís Câmara Cascudo, Seridó vem da linguagem do povo indígena Tapuia, “ceri-toh” que quer dizer “pouca folhagem” ou “pouca sombra”. Terreno difícil para quem quer correr um rally!

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.