Cantora Elza Soares morreu nesta quinta-feira (20), aos 91 anos

A música brasileira perdeu uma de suas vozes mais representativas. A cantora Elza Soares morreu hoje (20), em sua casa, de causas naturais, aos 91 anos. Ainda não há informações sobre o velório da artista. Nessa mesma data, em 1983, morria o jogador de futebol Mané Garrincha, que foi marido da cantora.

“É com muita tristeza e pesar que informamos o falecimento da cantora e compositora Elza Soares, aos 91 anos, às 15 horas e 45 minutos em sua casa, no Rio de Janeiro, por causas naturais. Ícone da música brasileira, considerada uma das maiores artistas do mundo, a cantora eleita como a Voz do Milênio teve uma vida apoteótica, intensa, que emocionou o mundo com sua voz, sua força e sua determinação.

A amada e eterna Elza descansou, mas estará para sempre na história da música e em nossos corações e dos milhares fãs por todo mundo. Feita a vontade de Elza Soares, ela cantou até o fim”, destaca comunicado sobre a morte da cantora e assinado por assessores e familiares.

Nascida no dia 23 de junho de 1930, no Rio de Janeiro, na favela da Moça Bonita, atualmente Vila Vintém, no bairro de Padre Miguel, zona norte da cidade, a menina Elza Gomes da Conceição veio de uma família humilde e ainda pequena mudou-se para um cortiço no bairro da Água Santa, onde foi criada.

Elza Soares teve oito filhos – dois deles morreram ainda recém-nascidos. Outros cinco morreram em acidentes e por doença, sendo fases difíceis da vida da cantora. A única que está viva é Dilma, sequestrada quando tinha 1 ano de idade e encontrada 30 anos depois. A vida dela foi de muitas glórias, mas também de lutas e tristezas. Foi casada por duas vezes. Na primeira vez, foi forçada a se casar aos 13 anos. Depois, teve uma união com Garrincha.

Elza Soares morreu no mesmo dia que Garrincha, com quem foi casada por mais de 17 anos. Ele faleceu em 20/01/1983.


Elza Soares começou a carreia artística fazendo um teste na Rádio Tupi, no programa Calouros em Desfile, de Ary Barroso, e conquistou o primeiro lugar. Após o concurso ela fez um teste com o maestro Joaquim Naegli e foi contratada como crooner (cantor de orquestra ou conjunto musical) da Orquestra Garam de Bailes, onde trabalhou até 1954, quando engravidou. No ano seguinte, voltou a cantar na noite e em 1960 lançou seu primeiro disco, Se Acaso Você Chegasse e, em 1962, seu segundo LP, A Bossa Negra.


Em 1962, Elza fez apresentações como representante do Brasil na Copa do Mundo no Chile, onde conheceu Louis Armstrong (representante artístico dos Estados Unidos), que lhe propôs fazer carreira nos EUA. Neste mesmo ano ela conheceu Garrincha, com quem se casaria e teria um relacionamento conturbado.


Elsa Soares fez carreira no samba, mas também transitou do jazz ao hip hop, passando pela MPB, lançando 36 discos na carreira. Ela foi eleita, em 1999, pela Rádio BBC de Londres como a cantora brasileira do milênio. A escolha teve origem no projeto The Millennium Concerts, da rádio inglesa, criado para comemorar a chegada do ano 2000. Além disso, apareceu na lista das 100 maiores vozes da música brasileira elaborada pela revista Rolling Stone Brasil.A cantora também ganhou diversos prêmios como três prêmios Grammy Latino e dois WME Awards e, em 2020, foi tema do enredo da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel.


Famosos lamentam

Vários artistas utilizaram as redes sociais para mandar mensagens de apoio aos familiares e fãs de Elza. “Descanse em paz, Elza Soares. O mundo do samba, e de toda a música brasileira, te agradece e reverência pela sua vida e sua arte”, escreveu Zeca Pagodinho.


Lázaro Ramos chamou a cantora de “Deusa maior” e a agradeceu por nunca se calar. “Elza, Elza, Elza. Só lágrimas neste momento. Tanto que queria falar e agradecer mas não há palavras suficientes que possam expressar o tanto que sentimos com sua partida. Obrigado por inspirar tanto e por não se calar nunca. Obrigado Deusa maior”.


Internacional

A imprensa internacional repercutiu a morte da cantora brasileira. Eleita, em 1999, como A Voz do Milênio pela Rádio BBC de Londres, Elza deixa uma extensa carreira com 123 discos em quase 70 anos de carreira e um Grammy Latino de 2016 de Melhor Álbum de Música Popular com A Mulher do Fim do Mundo.


O The Washington Post foi um dos primeiros veículos de fora do Brasil a repercutir a morte de Elza. A Rádio França Internacional a chamou de “cantora mítica” e elaborou um comunicado onde lamenta a morte.

Com informação da tribuna do Norte

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.