Aventura que me faz ter orgulho do roteiro da minha história

Mariana Rodrigues

Amar você é igual a comer chocolate quando se tem cárie. Dói, mas ainda assim é muito bom. Acho que é o típico amar apesar de…

Não temos tantas fotos assim, mas sei que até nisso você me ensina que o melhor registro é o da memória. Meu amor amigo, não posso ficar parafraseando Roberto Carlos, dizendo que “você é a brincadeira mais séria, mentira sincera, o maior dos enganos, o melhor dos meus erros, a maldade que só me faz bem ou a mais estranha história que alguém já escreveu”.

Somos complicados e simples na mesma intensidade. Você testa minha paciência ao mesmo passo que me faz ser mais leve com pequenas coisas. Eu tento lhe mostrar que amar você não me impede de lhe odiar, desde que o amor vença no final. Gosto do que a gente tem porque é da ordem da crueza da relação humana.

Você esculhamba com tudo e chora ouvindo Elvis cantar Sinatra. Eu choro ouvindo bolero e treino ser menos frágil diante do mundo. Nossas paredes têm buracos como nossas almas; e da mesma forma que emolduramos a parede, apreciamos nossas faltas sem tentar tapá-las.

Respeitamos a loucura um do outro e abraçamos nossos medos, até que se tornem coragem. Cada instante que compõe o infinito particular de cada um, me faz ter a certeza que entre mortos e feridos, sustentar uma aventura como a nossa me faz ter orgulho do roteiro da minha história.

Compartilhar em:

1 comentário

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.