APELANDO: Bolsonaro come frango com farofa em uma barraca de rua em Brasília para se apresentar como homem simples

Assessores do presidente Jair Bolsonaro publicaram, um vídeo do presidente da República comendo frango com farofa em uma barraca de rua, em Brasília. O vídeo vem sendo viralizado pelos simpatizantes bolsonaristas, tentando apresentá-lo como um homem simples .

No mesmo dia O GLOBO revelou que Bolsonaro já gastou R$ 30 milhões mais com cartão corporativo. Mais que as gestões anteriores.

Internautas e opositores do governo criticaram a gravação em que Bolsonaro aparece com comida espalhada pela roupa e no chão, enquanto come com as mãos.

Nas redes de outros aliados do presidente, como seu assessor especial tenente Mosart Aragão, e seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (PL), o vídeo segue no ar.

As imagens viralizaram e diversos perfis na internet interpretaram o material como uma peça de propaganda para mostrar o chefe do Executivo como “homem do povo” — estratégia de imagem usada reiteradamente pelo político.

Internautas criticaram principalmente o fato de que o material que tenta mostrar Bolsonaro como homem simples mostre ele sujo de comida, como se isso gerasse alguma identificação com a população.

“Pra quem ainda confunde dinheiro, acesso à educação e poder com educação e respeito aí vai uma imagem que vale mais que mil palavras; O povo não se identifica com essa imundície”, publicou um perfil. “Nem toda propaganda é boa”, postou outro.

O vídeo foi compartilhado no mesmo dia em que O GLOBO revelou que Bolsonaro já gastou mais com cartão corporativo do que as gestões anteriores.

Em apenas três anos, despesas sigilosas do presidente chegam a aproximadamente R$ 30 milhões, montante 19% maior do que o registrado por Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (MDB) no mandato de 2015 a 2018.

No mês passado, os cartões exclusivos da família presidencial foram usados em compras que somaram R$ 1,5 milhão, valor mais alto, para um único mês, dos três anos da atual administração. Bolsonaro passou os últimos dias de dezembro em férias no Sul do país.

As cifras, corrigidas pela inflação, dizem respeito às faturas de 29 cartões vinculados à Secretaria de Administração da Presidência da República, que estão sob a responsabilidade do presidente, de seus familiares e auxiliares mais próximos. De acordo com o próprio Palácio do Planalto, dois deles ficam permanentemente sob poder de Bolsonaro. Os cartões são usados para despesas do cotidiano, como refeições do chefe do Executivo durante viagens. Todas, porém, são mantidas em sigilo, sob argumento de que a eventual divulgação colocaria o presidente em risco.

Do Globo

Compartilhar em:

3 Comentários

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.