Anestesista preso por estupro é hostilizado por outros detentos ao chegar em presídio

Detentos de Bangu 8 começaram a sacudir as grades, vaiar e xingar Giovanni Quintella; por questão de segurança, médico ficará em cela individual que já recebeu Roberto Jefferson

Após a audiência de custódia, ocorrida na noite desta terça-feira (12), quando foi convertida a prisão em flagrante em prisão preventiva, o médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, preso por estupro durante parto, foi transferido da Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio, para Bangu 8, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste. Por questões de segurança, ele foi colocado em uma carceragem especial e individual de 36m² que já foi de Roberto Jefferson, político preso por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo informações obtidas pela TV Globo, por volta das 21h15, quando chegou ao local, detentos do presídio Pedrolino Werling de Oliveira, o Bangu 8, começaram a sacudir as grades, vaiar e xingar o anestesista, como forma de protesto. Dentro das cadeias, determinados crimes, estupro é um deles, não são bem aceitos por outros presos, necessitando, por exemplo, que o criminoso permaneça em cela isolada.

O DIA

Compartilhar em:

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.