Advogado Evandro Borges escreve depoimento sobre o jornalista Pinto Júnior, que morreu em decorrência da covid

Transcrevemos, abaixo, depoimento do advogado Evandro Borges, que escreve um coluna no Portal Potiguar Notícias, sobre a morte prematura do jornalista Pinto Júnior, neste sábado, 18. Emocionante. Confira:

O amigo Pinto Júnior partiu


Conheci o amigo José Alves Pinto Júnior há uns quinze anos através do jornalista e advogado Luís Gonzaga. Estava estabelecido em uma casa alugada no centro histórico de Parnamirim.  Demonstrava um amor à profissão e na batalha diária do Jornal impresso que fundou e motor de sua vida o Potiguar Notícias, um periódico semanal a partir de Parnamirim/RN, que precisava manter e conseguir o ganha pão para a família.
Pinto Júnior construiu uma larga experiência profissional, atuou na televisão, mantinha um programa na Band Natal o “Conexão Potiguar”, no rádio, atualmente o Potiguar Notícias estava integrado a uma rede de emissoras, inclusive na Rádio Rural de Natal. Na sua jornada iniciou muitos jovens jornalistas na profissão, muitos deles atuando nos meios de comunicação do Estado.
Pinto Júnior é filho de agricultores familiares, a sua infância e adolescência foi de vida difícil e dura. Nasceu na Bahia, pois seus pais em face de uma seca foi tentar a vida na Bahia. Em Nova Floresta/PB, vizinho a Jaçanã/RN na serra do Curimataú era conhecido por “baiano”. É cidadão de Parnamirim título concedido pela Câmara Municipal.
Fez jornalismo em Campina Grande/PB, me passou as dificuldades para a realização do curso. No Potiguar Notícias trabalhou intensamente na redação, na impressão varando as noites,  na distribuição dos exemplares para atingir principalmente Parnamirim e Natal. Era um empreendedor. Na sua jornada tentou de tudo desde carros de som para propaganda e na construção de redes. Os seus patrocinadores/clientela passavam a serem seus amigos.
Em relação a Pinto Júnior pode-se dizer que era um idealista, humanista, civilista e cristão católico. Preocupado com a justiça social, com a inclusão, a formação da cidadania e da opinião pública. Nas suas ações tentava organizar a sociedade. Contribuiu com o Clube dos Diretores Lojistas, procurou fortalecer as organizações sociais. Com a contadora e empresária a Sra. Laíde no governo Wilma de Faria conseguiu articular a Delegacia das Mulheres para Parnamirim. Não descriminava ninguém e procurava conviver de forma respeitosa na pluralidade, mesmo deixando claro o seu posicionamento.
Participei de momentos intensos do jornalismo ao seu lado, nas jornadas de programas no dia das eleições, varando o dia e a noite, trazendo notícias e comentários do dia da eleição. Interpretando os resultados eleitorais, principalmente nas eleições municipais, era um municipalista e compreendia que a vida se dava no Município com todas as suas identidades e vicissitudes.
Passei momentos intensos ao seu lado nos seus sonhos, comprometidos com o bom jornalismo, com a literatura, com a poesia e nas dificuldades das relações com o Poder Público e com a iniciativa privada. Construímos consensos mesmo com divergências, era uma amante da vida. Lembro bem das jornadas de valorização das empresas cidadãs em Parnamirim, quando premiava as empresas que mais contribuíam com tributos municipais, foram jornadas memoráveis. A aquisição da casa, local que está instalado o Potiguar Noticias foi um desafio. Quantas reuniões, conversas e eventos no alpendre.
Uma grande dor foi descobrir que precisava fechar o jornal impresso e não podia mais resistir, que dedicava todas as suas energias, se dobrando as novas tecnologias e preparou com paciência a transição para o Portal do Potiguar Notícias e o trabalho em todas as suas mídias. Realizou um esforço hercúleo sem recursos, mas contando com uma rede de colaboradores a sua maioria por voluntários que construiu ao longo da sua permanência na casa comum.
O amigo Pinto Júnior é mais uma vítima do covid – 19, que já tinha vencido, no entanto esbarrou nas suas consequências. Estava com 52 anos, sofrendo muito em coma induzido, com traqueostomia e realizando hemodiálise, com os pulmões completamente comprometidos e sem sair da UTI, descansou o corpo, e como cristão, certamente, será recebido com regozijo pelos anjos, santos, amigos e familiares que lá se encontram.
Está deixando viúva Irandir, uma paraibana do Curimataú, uma mulher altiva e apaixonados desde a juventude. Amava intensamente seus dois filhos Ana Luíza com dezessete anos, aluna da Escola Agrícola de Jundiaí e Pedro Henrique com quatorze anos aluno do Colégio Salesiano Dom Bosco e terminando o ensino fundamental, constituíam uma bela família.  
Amigo Pinto Júnior, excelente profissional do jornalismo, empreendedor, civilista e humanista, esposo e pai. Um trabalhador incansável. Um homem bom e generoso. Pode ir em paz. Aqui na terra você cumpriu a sua missão. Ficam as suas lições e recordações que serão guardadas na memoria. As intempéries da jornada humana lhe ceifaram vida que você tanto amava.
Pinto segue em paz para eternidade !  (
Fonte: Portal Potiguar Notícias). 

Compartilhar em:

1 comentário

Entre na discussão!

Fique tranquilo, seu email está seguro.