Dia: 24 de setembro de 2021

Curraisnovense José Xavier Cortez, fundador da Editora Cortez, morre em São Paulo aos 84 anos

O editor curraisnovense José Xavier Cortez, morreu na madrugada desta sexta-feira (24), em São Paulo. Ele tinha 84 anos e a morte foi confirmada no perfil oficial da Editora Cortez: “Com imenso pesar comunicamos o falecimento de José Xavier Cortez (1936-2021), nosso querido fundador”, inicia o texto.

Cortez saiu aos 17 anos de Currais Novos/RN, e ingressou em 1966 na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, onde iniciou sua carreira no mercado editorial como livreiro e editor.

Ele dedicou sua vida à Educação Brasileira, garantindo a estrutura editorial para que autores importantes continuassem conectados ao ensino básico.

Em entrevista publicada na SAIBA MAIS, em dezembro de 2018, o jornalista Carlos Magno Araújo conta a trajetória de Cortez e ressaltou o posicionamento dele contra o movimento da ‘Escola sem Partido’: “Educar é um ato político, ensinar é um ato político e é evidente que os professores têm de tratar de política em sala de aula”, defendeu ele.

Cortez nasceu em 1936, num sítio em Currais e entrou na Marinha aos 19 anos, em Pernambuco, onde fez a escola de aprendiz de marinheiros.

Foi expulso em 1964 ao participar de um movimento considerado subversivo já quando servia no Rio de Janeiro. “Na verdade, o que queríamos era mais respeito, já que os marinheiros eram tratados com muito desprezo pelos superiores”, disse ele em 2018.

Foi então para São Paulo, onde virou lavador de carros. Conseguiu entrar na faculdade de Economia da PUC em 1966 e a partir de então a vender livros para se manter e bancar os estudos. Seus clientes, intelectuais de vanguarda.

Daí foi um pulo para tornar-se livreiro e depois editor.
Cortez é nome de escola na zona sul de São Paulo, no bairro do Grajaú, e tem, entre vários títulos, o de cidadania paulista.

Nas entrevista, ressaltou que jamais esqueceu os conselhos dos pais, no sertão potiguar, de ser honesto, responsável e manter a palavra. Costumava dizer que o amor pela leitura e pelos livros mudou sua vida. “Foi a leitura que me levou a ser o que sou hoje”.

Sem ela, dizia, jamais seria editor, jamais entraria na PUC. “O balanço que faço é que, acho, deixarei um legado bacana para o país, para minha família e para quem esteve perto de mim”.

Durante a pandemia, Cortez escreveu o primeiro livro

Em reportagem publicada pelo site G1SP em novembro de 2020, Cortez falouo sobre as mudanças que a pandemia havia imposto. Então com 83 anos e fazendo parte do grupo de risco, ele teve que interromper os exercícios físicos, o trabalho na editora Cortez e o convívio com os três filhos e netos. Mas nesse novo cenário, ele se desafio a escrever o seu primeiro livro, depois de editar mais de 1,3 mil títulos de outros autores. O nome da obra é “Tempos de isolamento”, que mistura memórias e reflexões sobre a vida em pandemia.

No texto publicado no site de SP ele conta que a ideia surgiu após ver um recado no elevador, deixado por vizinhos do prédio que se ofereciam para fazer compras para os moradores mais velhos, ação de solidariedade que se tornou comum na pandemia.
Ele disse que o objetivo do livro também era mostrar a importância da sala de aula para pessoas de sua idade – antes da pandemia ele era aluno em um curso universitário voltado para terceira idade. “As pessoas que estão envelhecendo – que criaram seus filhos, que deram todo seu tempo, todo seu trabalho, todo seu suor, em benefício de determinadas cidades do país – merecem esse tratamento especial.”, explicou.

Viúvo, Cortez morava sozinho em um apartamento em Perdizes. A escrita do livro ocupou seu tempo por cinco meses e foi lançado em outubro de 2020. “Foi uma experiência singular que, posso assegurar, me manteve ativo mentalmente e entusiasmado a ponto de me apartar de qualquer resquício de depressão e tristeza nestes meses de confinamento.”

Leia a entrevista completa publicada na Saiba Mais:

Cledivânia Pereira – Da Agência Saiba Mais

ALERTA: Nível de água da Lagoa do Bonfim está abaixo do recomendável e esvaziamento é avaliado

A diminuição do volume das águas da Lagoa do Bonfim, em Nísia Floresta, tem sido percebida aos olhos de quem frequenta a maior lagoa do Rio Grande do Norte. O nível de água recomendável no lago está 3 metros abaixo do recomendável, segundo dados do Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn). O ideal é estivesse na cota de 39,0 metros, mas, atualmente, o nível está oscilando entre as cotas 36 e 37 metros.


O publicitário Marcus Aragão é uma das pessoas que têm acompanhado a redução no volume de água no lago. Ele, que visita a região há 20 anos, publicou um artigo no qual explica como tal situação é motivo constante de preocupação, especialmente para pessoas que moram no entorno da lagoa. Pelos dados que constam no Igarn, a Lagoa do Bonfim tem uma capacidade total de 84.268.200 m³. Atualmente, o volume acumulado na lagoa é de 40,819 m³, correspondentes a 48,44% da sua capacidade.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é image-307.png


“O programa das adutoras que visava retirar água da Lagoa do Bonfim para levar para quem mais precisava era perfeita se fosse sustentável. Isto é, se a lagoa fosse abastecida por algum rio. Todos sabemos que ela só recebe água quando Deus manda e ele tem mandado bem — Quase 2.000 milímetros por ano. 800 milímetros acima da média. A retirada é que está desproporcional. Por segundo saem 442 litros de água. Isso desde 1998. Já encolheu enormemente e continua a ir desaparecendo aos poucos”, desabafa o publicitário.


Aragão detalha que a Lagoa do Bonfim está interligada com outras lagoas menores, como a Carcará, Urubu, Redonda, Ferreira Grande e Boa água. “Secando o Bonfim, comprometemos todas. (…) Se fosse possível resolver o problema da seca no RN através da Lagoa do Bonfim, seria justo o sacrifício. (…) Agora, o que acontece é que ela está se esvaindo devido a irresponsabilidades das autoridades. Já está passando da hora de chegarem com uma solução de verdade para resolver a seca nas regiões que hoje recebem água do Bonfim. Pelo ritmo que vai, em breve faltará água para todos e teremos seca no sertão e nas 6 lagoas — é a ampliação do problema”, critica.


O risco de esvaziamento da lagoa, apontado pelo autor do vídeo acima, é avaliado pelo Igarn. Em nota enviada ao Agora RN, o instituto, que monitora a lagoa, afirma que “a Lagoa do Bonfim está em equilíbrio com o lençol de água subterrâneo. Assim, o volume de água da água deixa de ser importante, mas sim o nível de água da lagoa, que reflete o nível de água subterrâneo. As lagoas menores são mais rasas e o rebaixamento excessivo pode esvaziar essas lagoas”.


A Lagoa do Bonfim, cuja captação das águas é feita pelo Sistema Adutor Monsenhor Expedito há mais de 20 anos, fornece água para cerca de 30 municípios do Agreste Potiguar. Desta maneira, estudiosos e ambientalistas defendem que é necessário que a exploração se mantenha de forma sustentável, com vistas a não comprometer o sistema e permitir o abastecimento de água à população dos diversos municípios que dela dependente.


A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), que administra a lagoa para o abastecimento de água aos municípios, informou que não possui gestão sobre todas a ações necessárias para reduzir o consumo sem controle das águas da Lagoa do Bonfim. Não obstante, a CAERN já atua em parceria com outros órgãos para amenizar a situação.
Segundo a Companhia, a Lagoa do Bonfim juntamente com uma bateria de 7 poços tubulares no entorno da lagoa e outros 12 Poços tubulares na região de Boa Cica (Nisia Floresta) é responsável pelo suprimento de agua de 30 Municípios, atendendo uma população de aproximadamente 285 mil habitantes.


Na nota, a Caern diz que tem buscado alternativas de curto prazo para reduzir a captação direta da Lagoa do Bonfim e intensificado o trabalho de fiscalização e manutenção ao longo de todo o caminhamento da adutora (430km), para combater ligações clandestinas e vazamentos de pequeno porte.


A companhia não estimou prazo mas disse que “a médio prazo, espera-se que tenham sido implantadas implantado novas adutoras no estado do RN, como por exemplo a nova adutora do agreste”.

A Promotoria de Justiça de Nísia Floresta tem um inquérito civil instaurado para apurar a situação, que tem sido considerada problema ambiental.
A situação da lagoa é monitorada pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN). O MPRN quer informações sobre a regularidade ambiental da exploração do manancial e expor as diligências complementares que serão requisitadas aos referidos órgãos.
Fonte: AgoraRN

Programa Restaurante Popular serve 500 refeições diárias em São José de Mipibu

Restaurante Popular, antes da pandemia. Foto: Portal do RN

A Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (SETHAS) é a responsável pelo Programa Restaurante Popular, de segurança alimentar. Em São José de Mipibu a unidade serve 500 refeições diárias (almoço) com um investimento mensal de R$ 68.090,00 (sessenta e oito mil e noventa reais). A unidade de São José de Mipibu fica na rua Dr. Antônio de Souza, 21, centro (ao lado da Caixa Econômica Federal).

Neste momento a SETHAS tem curso dois Certames Licitatórios que visam a contratação de empresas especializadas na prestação de serviços de preparação, fornecimento e distribuição de refeições prontas no Programa Restaurante Popular (PRP) do Governo do Estado.

Os certames consideram o quantitativo de refeições/dia fornecidas pelas unidades que é a referência técnica para a formação de lotes em licitação, considerando recomendações em relatório de auditoria interna de 2019, relatório do TCE e em visitas de inspeção técnica realizadas pela SETHAS nas unidades que constataram viabilidade dos ajustes.

O primeiro certame em curso prevê contratação anual estimativa de 601.920 (seiscentos e um mil novecentos e vinte) refeições prontas para oferta do serviço nas unidades do PRP em Parnamirim, São Paulo do Potengi, Pau dos Ferros e Parelhas.

O segundo se destina à contratação de uma estimativa anual de 1.285.680 (um milhão duzentos e oitenta e cinco mil seiscentos e oitenta) refeições prontas, para oferta do serviço nas unidades do Programa em São José de Mipibu, Santo Antônio, Natal (Planalto), Natal (Pompéia), Ceará-Mirim (Conjunto Paraíba), São Miguel, Assú (Frutilândia), Macau, Jardim de Piranhas, Areia Branca, Apodi, Mossoró (Centro), Canguaretama, João Câmara, Santa Cruz e Jucurutu.

As metas diárias de fornecimento de refeições apresentadas nos dois certames correspondem, por um lado, a um ajuste na oferta de refeições, adequando-as à demanda efetivamente identificada em visitas de inspeção, nas quais foram constatadas a viabilidade e necessidade de redução nas metas nos municípios ora apresentados.

Atualmente, são servidas quentinhas

Ao mesmo tempo o ajuste efetivado resulta da imposição decorrente das novas obrigações contributivas do Governo do Estado instituídas pela Lei Federal do FUNDEB, Lei nº 14.113, de 25 de dezembro de 2020, a qual retira recursos do Fundo Estadual de Combate a Pobreza (FECOP), fundo este que custeia as ações de Segurança Alimentar, destinando 20% dos recursos deste fundo a Política Estadual de Educação. Com a referida Lei Federal 2% do ICMS incidente sobre um conjunto de produtos que constituem a base de arrecadação e financiamento do FECOP passaram a contribuir com o montante dos 20% da obrigação do Estado com o FUNDEB. Esta medida impôs uma redução de mais de R$ 24 milhões no orçamento dos programas financiados com recursos do FECOP.

Apesar de tal imposição da nova Lei do FUNDEB, a SETHAS atua para atender à demanda real constatada em cada unidade. Nas unidades onde a meta contratada estava correspondendo à demanda real e mesmo assim foi necessário aplicar redução de metas, a SETHAS trabalha na perspectiva de propor alternativas de programas de segurança e soberania alimentar e nutricional.

É relevante ressaltar que os dois certames em curso levam em consideração e cumprem a Lei nº 10536 de 03/07/2019 do Programa Estadual de Compras Governamentais da Agricultura Familiar e Economia Solidária (PECAFES) do RN e o decreto Decreto Nº 29.183, de 30 de setembro de 2019, que o regulamenta. Esta lei determina que pelo menos 30% da aquisição de gêneros alimentícios sejam provenientes da agricultura familiar e economia solidária.  Para tanto estão sendo realizadas chamadas públicas paralelas para cada certame.

As informações e estudos que fundamentaram a viabilidade técnica e econômica da divisão dos certames em lotes levam em consideração orientação do Tribunal de Contas da União neste sentido, cabendo à Administração Pública, justificadamente, demonstrar a vantajosidade da opção dos certames em curso na SETHAS.

CRAS apresenta atividades com usuários do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

O Centro de Referência de Assistência Social, por meio do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos realiza, semanalmente, atividades em grupo, para crianças, adolescentes, jovens e adultos; pessoas com deficiência; pessoas que sofreram violência, vítimas de trabalho infantil, jovens e crianças fora da escola, jovens que cumprem medidas socioeducativas, idosos sem amparo da família, entre outros.

Orientação social com crianças, na comunidade de Caeiras
Oficina de Música com adolescentes

Segundo Milena Simplício, coordenadora do CRAS-Centro, “o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos realiza atividades artísticas, culturais, de lazer, orientação social e esportivas, de acordo com a faixa etária dos usuários inseridos no Cadastro Único”.

Milena Simplício, coordenadora do CRAS-Centro
Atividade esportiva, na comunidade de Caeiras

“O atendimento a esse público é realizado nas comunidades de Caieiras, Laranjeiras do Abdias, Arenã, Pau Brasil e na sede do município”. E adianta, a coordenadora do CRAS: “o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos tem como objetivo fortalecer as relações familiares e comunitárias, além de promover a integração e a troca de experiências entre os participantes, valorizando o sentido de vida coletiva”.

Oficina de Artesanato

O Serviço possui um caráter preventivo, pautado na defesa e afirmação de direitos e no desenvolvimento de capacidades dos usuários. Para participar do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, o usuário deve procurar o Centro de Referência da Assistência Social – CRAS, localizado na Rua Coronel Antonio Basílio, Nº 69, Centro, e CRAS Pau Brasil, localizado à Travessa dos Coqueiros, s/n, na comunidade de Pau Brasil.

Sesap possui serviço de orientação em casos de acidentes com animais peçonhentos

No primeiro semestre de 2021, 60% dos acidentes com animais por animais peçonhentos notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) envolveram escorpiões, o que em números corresponde a 1.924 vítimas.

A maioria dos casos apresenta sintomas leves, como dor de instalação imediata que pode se irradiar para o membro e ser acompanhada de formigamento ou ardência, inchaço e sudorese local. Esses sintomas costumam melhorar em algumas horas sem a necessidade da utilização de soro antiescorpiônico.

Em algumas situações os sintomas são mais graves e podem surgir em até duas ou três horas após a picada. Uma vez que seja diagnosticada a necessidade de soroterapia esta deve ser realizada o mais precocemente possível e, por isso, o tempo entre o acidente e o atendimento médico é crucial, principalmente em casos que envolvam crianças e idosos.

O Ceatox/RN é um serviço da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e funciona em plantão telefônico 24h para casos de acidentes por animais peçonhentos e outras intoxicações. Por ligação telefônica ou WhatsApp os plantonistas prestam informações específicas, em caráter de urgência, aos profissionais de saúde e de caráter orientador, educativo e preventivo à população em geral. Os números são: 0800 281 7005 (84) 98803.4140 e (84) 98125.1247.

As vítimas de acidentes com animal peçonhento, além de profissionais da rede pública ou privada de saúde, podem contar com o CEATOX/RN para orientar sobre a conduta do atendimento e, quando necessária a transferência, o fluxo da regulação para as unidades de referência.

É importante lembrar que as vítimas de acidentes com serpentes devem ser encaminhadas à unidade de referência para avaliação clínica e tratamento adequado, mesmo que apresentem sintomas leves.

O RN conta com cinco unidades hospitalares de referência para atendimento a acidentes com animais peçonhentos, situadas em Natal, Caicó, Mossoró, Pau dos Ferros.

Em Natal as referências são o Hospital Pediátrico Maria Alice Fernandes, para pacientes de até 14 anos, e o Hospital Giselda Trigueiro para pacientes adultos. Em Mossoró o Hospital Regional Tarcísio Maia, em Caicó o Hospital Telecila Freitas Fontes e em Pau dos Ferros os atendimentos são feitos no Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade.

Prevenção

Existem medidas que podem ser adotadas como forma de prevenção ao aparecimento de escorpiões, como acondicionar o lixo domiciliar em sacos ou recipientes fechados, manter a limpeza de quintais e jardins, evitar acúmulo de entulhos, folhas secas, lixo doméstico e materiais de construção próximo às casas, evitar folhagens densas junto a paredes e muros. Uma forma de prevenção aos acidentes com esses animais é usar calçados e luvas de raspas de couro nas tarefas de limpeza em jardins e quintais, a atenção com roupas e sapatos antes do uso, afastar camas e berços das paredes, não deixar que mosquiteiros encostem no chão e não pendurar roupas nas paredes. É importante também utilizar, em casas e apartamentos, sistemas de vedação de ralos, consertar frestas em paredes e rodapés soltos. Outra forma de evitar a proliferação de escorpiões é a preservação de seus inimigos naturais, como as aves de hábitos noturnos, como corujas e joão-bobo, lagartos e sapos.

Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito de Mipibu promove passeio ciclístico, neste sábado (25)

Foto ilustrativa – Nísia Digital

A Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito de São José de Mipibu, promoverá, neste sábado (25), a partir das 6h, um passeio ciclístico que dentro das comemorações da Semana Nacional do Trânsito.

O passeio terá concentração às 6h, na Praça da Saudade (em frente a Caixa Econômica Federal), com percurso pela Av. Moizaniel de Carvalho, Av. Senador João Câmara com ponto de chegada ao centro da cidade, onde haverá programação especial durante a feira livre.

O passeio abre a Semana Nacional do Trânsito que terá diversas ações realizadas pela Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito, tendo o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de se fazer um trânsito seguro. “Esperamos a participação de todos os ciclistas, inclusive, crianças e jovens. Será um evento para toda família, mostrando à população a importância de cada um fazer a sua parte para um trânsito seguro”, disse o secretário de Transportes e Trânsito, Alexandre Elói.

Festa do Boi será retomada de forma presencial em novembro

Festa do Boi será realizada em novembro — Foto: Klênyo Galvão/G1

A 59ª edição da Festa do Boi será realizada de forma presencial, de 13 a 20 de novembro, no Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim. O anúncio foi feito pela governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, na manhã desta quarta-feira (22), após reunião com a diretoria da Associação Norte-rio-grandense de Criadores (Anorc) e outros representantes do governo.
Em 2020, o evento aconteceu de forma virtual por causa da pandemia do novo coronavírus. “Vamos voltar a fazer a festa no Parque Aristófanes Fernandes, mas respeitando todos os protocolos de segurança à pandemia da Covid-19, inclusive exigindo o passaporte da vacina”, falou a governadora.
Segundo o governo, a Anorc será responsável pelo cumprimento de todos os protocolos sanitários estabelecidos. Uma medida anunciada é que expositores e colaboradores deverão apresentar comprovante da vacinação já na contratação dos espaços.
“Enfrentamos dificuldades com a estiagem e o aumento de preços nos insumos, mas vamos fazer a retomada da festa com muita habilidade e responsabilidade para estimular nossa atividade e a economia do RN”, afirmou o presidente da Anorc, Marcelo Passos.
“Vamos voltar a realizar a festa de forma presencial e, tenho certeza, vai proporcionar bons negócios”, declarou o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sape), Guilherme Saldanha.
O Sebrae-RN, também representado no encontro, anunciou apoio à Festa do Boi e vai investir R$ 1,5 milhão, segundo o diretor-técnico, João Hélio Cavalcanti.