Dia: 20 de setembro de 2021

ABSURDO: Na ausência do DER, morador faz serviço de tapa-buraco na rodovia RN 317

O blog O ALERTA recebeu um vídeo que mostra um cidadão realizando serviço de tapa-buraco na rodovia estadual RN 317. Diante do grande número de buracos na estrada resolveu realizar o serviço, que seria de responsabilidade do Governo do Estado, por meio do Departamento de Estradas de Rodagens do RN – DER.

E complementa: “Como se não bastasse, ele suspendeu seu ganha pão, pra tapar os buracos na rodovia RN 317, que liga as comunidades de Ribeiro à Laranjeiras do Abdias, em São José de Mipibu”.

A professora diz revoltada: “revoltante Jussier pegar sua moto e fazer o papel do poder publico. Será que nunca iremos ter algum órgão que nos ajudem, da imprensa local… Isso revolta e manifestação da população! Uma pilha de requerimento de vereadores, deputados, TVs e nadaaaaa!!

!

SÃO JOSÉ DE MIPIBU: Reiniciadas obras da Creche-Escola ‘Angelina Faria’, no Bairro Novo

Foram reiniciadas as obras do Centro Municipal de Educação a Infância – CMEI, “Angelina Vasconcelos de Faria”, no Bairro Novo, em São José de Mipibu, alvo, recentemente do blog O ALERTA, que mostrava um protesto por parte das mães dos alunos, que se postaram diante da placa da obra, com cartazes pedindo o reinicio dos serviços.

As obras do CMEI foram iniciadas na gestão do ex-prefeito Arlindo Dantas, em 2020, no valor de R$ 716.744,59, pela empresa WAF Construções Eireli e, tinha o prazo a previsto para sua conclusão, 20 de julho de 2020, porém, estavam paralisadas há mais de oito meses.

No ano passado, “os trabalhos foram iniciados com os recursos da contra partida da prefeitura e aguardava que o Governo do Estado liberasse uma emenda impositiva da deputada estadual, Cristiane Dantas”, disse o secretário Municipal de Obras, Alexon Adriano.

“Serão construídas 11 salas de aulas, cozinha no padrão FNDE, sala de informática, salas para direção, administração, WC adaptados para deficientes. Todo o projeto segue as orientações para atender pessoas com dificuldades de locomoção”, disse o Secretário de Obras.

Tão logo soube da paralisação da obra do CMEI “Angelina Vasconcelos de Faria”, no Bairro Novo, o secretário particular da governadora Fátima Bezerra, o mipibuense Gilson Matias, mostrou-se surpreso e procurou verificar o que estava ocorrendo. Logo que destravou a questão burocrática, foram liberadas R$ 227 mil referente a recursos da emenda parlamentar, pelo Governo do Estado, o que possibilitou o reinicio das obras.

Na calçada, pode: Bolsonaro poderia ficar nas mesas externas de restaurantes em NY

Nas redes sociais do ministro do Turismo Gilson Machado, os seguidores acharam massa o presidente Jair Bolsonaro e seus ministros comerem fatias de pizza com refrigerante no meio da rua em Nova Iorque, onde o presidente desembarcou levando uma comitiva, para participar da Assembleia Geral da ONU na terça-feira.

E tome comentário falando da simplicidade do presidente, quando a história não era bem assim.

Sem comprovante de vacinação, o presidente do Brasil faz mais uma vergonha ao país: não entrou em restaurante porque não está vacinado, e nos Estados Unidos, regra é regra.

Com as rígidas restrições em locais públicos de Nova York por causa da pandemia de covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus ministros tiveram a primeira refeição em solo americano no meio da rua.

O presidente está nos Estados Unidos para participar da 76ª Assembleia-Geral da ONU, que começa na próxima terça (21).

Em imagem publicada pelo ministro do Turismo, Gilson Machado, ele aparece ao lado de Bolsonaro comendo pizza em uma calçada. Com eles estão o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga; da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres; da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos; e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Com a rigidez em Nova York e por parte da ONU com os protocolos contra a covid-19, a participação de Bolsonaro na Assembleia chegou a ser uma dúvida nos últimos dias. A Organização, no entanto, se pronunciou dizendo que não exigiria comprovante de vacinação de chefes de Estado.

Apesar de o Planalto ter imposto sigilo de 100 anos ao cartão de Bolsonaro – o que torna impossível saber se ele já foi vacinado contra a covid-19 ou não – o mandatário afirma que não tomou vacina e continua defendendo o uso de medicamentos sem eficácia contra a doença.

O presidente tem uma reunião amanhã com o primeiro ministro do Reino Unido, Boris Johnson. A Assembleia está prevista para começar na terça-feira (21). O primeiro discurso de chefes de Estado será feito por Bolsonaro, como ocorre tradicionalmente. FONTE: thaisagalvao.com.br

O jornalista da Globo News Guga Chacra, que mora em Nova York, e , portanto, conhece as regras da cidade em tempos de pandemia.

Logo,  a cena de Bolsonaro e comitiva comendo em pé na calcada foi opção para passar imagem de “simples”e não consequência de seu negacionismo.

As próximas imagens podem trazer o mesmo grupo sentados em restaurantes da cidade. Desde que na … calçada.

MIRANTE: Styvenson quer explicações do ministro Marinho sobre uma obra em Montes das Gameleiras

Senador Styvenson Valentim (esq.) quer explicação de ministro Rogério Marinho


O senador Styvenson Valentim (Podemos/ RN) encaminhou, nesta segunda (20/9), um requerimento ao presidente da Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC), do Senado Federal, solicitando que seus membros votem um convite de sua autoria para que o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, possa explicar uma reportagem publicada no jornal O Estado de São Paulo.

A matéria, publicada também nesta segunda (20/9), traz à tona uma história que o ministro Rogério Marinho teria direcionado R$ 1,4 milhão do chamado orçamento secreto, alocado no Ministério do Turismo, para a obra de um mirante turístico que será construído a 300 metros de um terreno de sua propriedade, em Monte das Gameleiras (RN).


Para o senador potiguar, caso seja constatada a informação, fica claro o exercício do cargo público para benefício próprio. No Brasil, não são raros os casos de servidores públicos que utilizam as suas atribuições para conseguirem favorecimento pessoal. Essa é uma situação que pode ensejar desde a prática de infração disciplinar, atos de improbidade administrativa, até a tipificação no âmbito penal.


No requerimento, Styvenson deixa claro que outro aspecto a ser apurado nessa denúncia é sobre a existência de um possível orçamento secreto, algo que fugiria completamente a um dos princípios basilares da administração pública que é a obrigatoriedade da publicidade de suas ações. 


Em suas redes sociais, Styvenson disse que: “o ministro tem o direito de se explicar e a população tem o direito de saber” e foi isso que motivou o requerimento para o convite.

Justiça manda soltar comerciante suspeito de amarrar e agredir homem no interior do RN

A Justiça do Rio Grande do Norte determinou a soltura do comerciante Alberan de Freitas Epifânio, de 52 anos, suspeito do crime de tortura, cometido no dia 11 deste mês, no município de Portalegre, interior do Rio Grande do Norte. A decisão é da juíza Mônica Maria Andrade Figueiredo de Oliveira e segue o parecer o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN). 

No entendimento da juíza, não há presença dos requisitos que autorizem a prisão preventiva. Alberan de Freitas foi preso na última sexta-feira (17), por policiais civis da 4ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) de Pau dos Ferros e da Delegacia Municipal (DM) de Portalegre. A decisão da Justiça se estende também ao possível coautor do crime, André Diogo Barbosa Andrade, de 41 anos, que se encontrava foragido da Justiça. 

Apesar da decisão pela soltura, a magistrada exigiu o cumprimento de algumas medidas cautelares, como a proibição de ausentar-se da Comarca em que reside por um período superior a 15 dias sem prévia autorização; a proibição de mudar de residência, sem prévia permissão do Juízo competente, e a proibição para se aproximar ou manter qualquer contato com a vítima e testemunhas oculares – 100 metros (exceto se as testemunhas forem fazer compras em seu comércio).

O crime

Vídeos das agressões repercutiram no estado potiguar. O crime aconteceu no dia 11 deste mês, por volta das 13h, no município de Portalegre. De acordo com as investigações, a vítima, Francisco Luciano Simplício, foi submetida à violência e ameaça, a intenso sofrimento físico e mental, como uma forma de aplicar-lhe castigo pessoal ou medida de caráter preventivo. As agressões aconteceram após desentendimento entre a vítima e o autor da violência. O ofendido na discussão, Luciano Simplício, jogou uma pedra na porta do comércio de Alberan Epifânio, causando-lhe dano material, consistente em dois riscos na porta do estabelecimento.

Após o ocorrido, o proprietário do comércio, depois de subir na moto de André Diogo, alcançou Luciano Simplício nas proximidades do local do dano. Juntos, os dois homens derrubam a vítima. Segundo testemunhas, André Diogo conseguiu derrubar Luciano Simplício, passando a chutar as costas dele; momento no qual Alberan Epifânio se aproximou com uma corda e amarrou a vítima, com as mãos e pés para trás, imobilizando-a completamente. 

Depois de dominar Luciano Simplício, Alberan Epifânio passou a agredi-lo, causando grande clamor público. Ainda de acordo com testemunhas, as agressões físicas foram as mais diversas: chutes, pontapés, tendo como ápice da violência, o momento em que Alberan Epifânio, com a sobra da corda que amarrava a vítima, começou a chicoteá-la, o que fez por diversas vezes, deixando marcas do chicote nas costas da vítima. As agressões duraram, aproximadamente, 30 minutos. 

Após sofrer as agressões, testemunhas sinalizaram que a vítima se encontrava muito debilitada, expelindo sangue, com marcas pelo corpo e apresentando dificuldades até mesmo para andar, tendo sido necessário duas pessoas para conduzi-la ao atendimento médico; segundo perícia, foram constadas lesões de natureza leve, mas, todas aptas a comprovar a violência empreendida e caracterizadora do crime de tortura. 

PORTAL DA TROPICAL

“Vamos fazer do Rio Grande do Norte um território livre do analfabetismo”

Governadora Fátima Bezerra inaugurou neste domingo (19), na BR 304 entre Lajes e Angicos, escultura em homenagem ao educador que se tornou referência mundial em Educação.

A partir deste 19 de setembro de 2021, quem passar pelo quilômetro 180 da BR 304, no lado esquerdo da rodovia no sentido Natal-Angicos, à sombra do pico do Cabugi, na região Central, vai se deparar com uma imagem monumental que simboliza um dos capítulos mais importantes da pedagogia mundial. Neste domingo (19), data do centenário de nascimento de Paulo Freire, patrono da Educação brasileira, o Governo do Rio Grande do Norte contribuiu para eternizar a presença histórica do pernambucano no estado, quando há 58 anos o educador alfabetizou 300 adultos – entre homens e mulheres do campo, no episódio conhecido nacionalmente e internacionalmente como ”As 40 Horas de Angicos”. 

“Não estamos homenageando uma pessoa qualquer. Estamos falando de uma pessoa que tem mais de 40 títulos de doutor honoris causa. Um intelectual traduzido para mais de 20 idiomas e que se tornou o terceiro pensador mais citado do mundo em universidades da área de humanas”, declarou a chefe do Executivo estadual, na solenidade de inauguração da obra do escultor Guaraci Gabriel, que consolida as celebrações em torno do centenário de Paulo Freire, no Rio Grande do Norte, exatamente na cidade que há quase 60 anos foi cenário do revolucionário projeto de educação desenvolvido no célebre estilo freireano.

Na ocasião, Fátima agradeceu a Guaraci pela homenagem e declarou que uma das melhores formas de homenagear Paulo Freire é reafirmando o compromisso do Governo do Estado com a Educação. Ela citou o Programa Nova Escola Potiguar (PNEP), que receberá o maior volume de recursos já anunciado por um governo estadual, cerca de R$ 400 milhões, e que tem entre as principais premissas a meta de superar a marca de 400 mil analfabetos no território potiguar. “Em 2019, primeiro ano de nosso governo, vim a Angicos lançar o programa de superação do analfabetismo. Escolhemos esta cidade por reconhecer que foi aqui onde tudo começou. Paulo Freire nos inspirará com o seu legado na luta por uma educação enquanto direito de cidadania”, justificou.

A governadora do Rio Grande do Norte considerou lamentável que um pensador brasileiro da magnitude de Paulo Freire não tenha merecido um registro sequer por parte do Governo Federal no seu centenário. E tão grave quanto, completou ela, é o ataque que se faz à sua obra que não é de hoje. “Em 2016, quis o destino que, como parlamentar, eu tivesse no Senado para liderar o movimento que impediu que Paulo Freire fosse ‘desomenageado’. Um absurdo sem tamanho: queriam retirar dele o título de patrono da educação. Não permitimos”, lembrou ela. A proposta que tornou o educador pernambucano patrono da educação brasileira é de autoria da deputada Luiza Erundina e foi sancionado pela presidenta Dilma.

Paulo Freire também foi vítima da ditadura militar. Em 1964 chegou a ficar 72 dias preso e acabou exilado na Bolívia e, posteriormente, no Chile. “A essência do crime que ele foi absurdamente punido foi essa: ensinar ao povo pobre e oprimido não apenas aprender a ler e a escrever, mas compreender o mundo e lutar por seus direitos”, enfatizou Fátima. “Nós não podemos permitir que a história se repita como farsa ou tragédia. Ao contrário, nossa geração tem o dever histórico, ético e politico de zelar pela memória e legado de Paulo Freire. Pelo quanto esse legado nos inspira a lutar por um mundo mais inclusivo, com paz, com justiça social e com educação de qualidade para todos e todas”, finalizou a governadora.

Quarenta Horas de Angicos

Coordenada pela Fundação José Augusto, a celebração pela passagem do centenário do Paulo Freire, que culminou com a inauguração da escultura “Quarenta Horas de Angicos”, teve início na tarde de domingo na Casa de Cultura da cidade, onde foi inaugurada uma sala em homenagem ao educador, além da exposição itinerante em homenagem à ex-governadora Wilma de Faria.

O evento contou com a presença de alunos e alunas da turma de Paulo Freire, como foi o caso de seu Paulo Alves de Souza, 79, conhecido como Paulo da Carroça, que tinha 22 anos quando foi alfabetizado. “Deus levou muitos de nós, mas ainda tem uns 15 daquela época. Eu e meus companheiros estamos muito felizes e esse é um momento de gratidão por vocês se lembrarem de nós. Foi uma diferença maravilhosa em nossas vidas”, disse ele.

A passagem pelos 100 anos do nascimento de Paulo Freire, na cidade de Angicos, contou com a participação do vice-governador Antenor Roberto; do secretário Getúlio Marques (Educação), da secretária Íris Oliveira (Assistência Social), dos secretários Jaime Calado (Sedec) e Fernando Mineiro (Gestão de Projetos e Relações Institucionais), da secretária adjunta Márcia Gurgel (Educação), do subsecretário Marcos Lael (Educação), da secretária adjunta Socorro Batista (Gabinete Civil); além do presidente da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto, e do diretor Fábio Lima (FJA), da diretora da AGN, Márcia Maia, do diretor do DER-RN, Manoel Marques; do controlador geral Pedro Lopes, e do diretor da Fapern, Gilton Sampaio.

Entre os parlamentares, marcaram presença a senadora Zenaide Maia; o ex-deputado federal Henrique Alves, filho do ex-ministro Aluízio Alves, então governador do RN na época da realização do projeto “As 40 Horas de Angicos”; o deputado Francisco do PT (autor da Lei 10.592/21, que institui o ano de 2021 o Freire-Ano da Educação Potiguar); a deputada estadual Isolda Dantas; a vereadora Divaneide Basílio e o vereador Pedro Gorki, ambos de Natal, e representantes das entidades estudantis, como APES e UMES, e das entidades de classe SINTE-RN, Sinasefe e CUT-RN.

Também estavam presentes o reitor do IFRN, José Arnóbio Araújo, e o representante da UFERSA, Samuel Oliveira.

Escultura

A escultura, que mede 12 metros de altura e 7 metros de largura, foi instalada no terreno da Fazenda Serra Talhada, localizada no Km 180, da BR 304, em Angicos. Na obra, consta a imagem do educador pernambucano, o numeral “40” e as frases: “Paulo Freire – Patrono da Educação Brasileira” e “Tudo Começou em Angicos-RN”. Para a confecção da obra foram utilizadas 3,5 toneladas em materiais de ferro.

A festividade cultural ao pé do pico do Cabugi contou com participação da cantora Cida lobo e do saxofonista Joedson do Sax, e encerrou com recital do poeta Antônio Francisco.
Fotos: Raiane Miranda – Assecom/RN

100 anos de Paulo Freire: por que Patrono da Educação irrita tanto bolsonaristas

Morto há mais de 20 anos, educador ainda é reconhecido em diversos países, mas apoiadores do atual presidente da República insistem em atacar seu legado.

Dia 19 de setembro de 1921. Há exatos 100 anos nasceu, em Recife, Paulo Reglus Neves Freire – ou, simplesmente, Paulo Freire – Patrono da Educação Brasileira. Um século depois de seu nascimento, Paulo Freire é homenageado por diversas autoridades e personalidades, como o ex-presidente Lula, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), o ex-candidato à Presidência da República, Guilherme Boulos (PSOL), o professor Silvio Almeida, entre outros.

Porém, por outro lado, bolsonaristas têm o atacado – não só hoje, dia do centenário de seu nascimento, mas há algum tempo. O próprio filho do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, usou suas redes sociais para criticar uma recente decisão da Justiça, que proibiu o ataque à honra do educador.

“Educação do país de péssima qualidade e não se pode nem criticar o patrono desta bagunça? Isso não é justiça, é militância doentia. Nunca foi tão difícil fazer o certo e consertar o Brasil. Mas nós somos chatos e estamos certos, então vamos adiante“, disse o deputado federal (PSL-SP).

Eduardo Bolsonaro@BolsonaroSP Educação do país de péssima qualidade e não se pode nem criticar o patrono desta bagunça? Isso não é justiça, é militância doentia. Nunca foi tão difícil fazer o certo e consertar o Brasil. Mas nós somos chatos e estamos certos, então vamos adiante.

Vereador de Belo Horizonte, Nikolas Ferreira (PRTB) também desaprovou tal decisão: “A justiça está preocupada em proibir o governo de “atacar a dignidade” de Paulo Freire. E a dignidade de quem é vítima dessa pedagogia?”, disse o parlamentar bolsonarista.

Ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub foi ainda mais contundente: “Bilionários que controlam empresas gigantes/monopólios são de esquerda. Drogas, Paulo Freire, aborto, a destruição da SUA da família, estão na agenda deles. NÃO É COINCIDÊNCIA! Nossa luta é contra isso!”, postou em seu Twitter, junto a uma print da homenagem do Google ao patrono.

Google Brasil@googlebrasil Considerado um dos pensadores mais importantes na história da pedagogia mundial, Paulo Freire completaria 100 anos hoje. Defensor da educação libertadora, Freire é considerado o patrono da educação brasileira e sua obra é referenciada no mundo todo até hoje.

Mas por que os bolsonaristas se irritam tanto com o legado de Paulo Freire, mesmo após 24 anos depois de sua morte? O iG entrevistou o professor Thiago José de Biagio, mestre em História Social, para entender tal obsessão.

Para o especialista, a proposta pedagógica de Paulo Freire faz um contraponto à pedagogia tradicional e hierárquica. “Ele pensava na autonomia do ser humano, principalmente, o excluído. Pensava naquele que não tinha condições de se enquadrar – ou não queria se enquadrar – no modelo de educação burguesa, no qual o professor só vai depositando informações”, argumentou Biagio.

O professor também citou o livro mais famoso de Freire: “A Pedagogia do Oprimido”. “A obra vai ao encontro da ideia de emancipação do sujeito, uma consciência da condição social do oprimido. A proposta do Paulo Freire é de uma educação baseada no diálogo. Há um incentivo ao questionamento e à ação social. Portanto, o professor não é o topo da hierarquia, aquele que tudo sabe”, continuou Biagio.

“Ele prega que não haja o medo da liberdade. Inclusive, uma frase de Paulo Freire que representa esta proposta é ‘Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor‘”, pontuou o professor.

Biagio ainda afirmou que os bolsonaristas prezam por uma sociedade fatalista e de medo, enquanto o patrono da Educação Brasileira pregava a “esperança e a alegria”. “Portanto, aquele oprimido, que está desesperançado, deve ter na pedagogia um meio de resgatar essa esperança”, disse.

Em entrevista à DW Brasil, o sociólogo Abdeljalil Akkari, da Universidade de Genebra, declarou: “A essência da obra de Freire é totalmente política, no sentido nobre do termo, não no sentido da política partidária. Por isso, em todas as regiões do mundo, sua obra é lembrada como algo muito interessante para refletir sobre o futuro da educação contemporânea”, analisou.

Professor do curso de pedagogia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Ítalo Francisco Curcio disse, também à DW Brasil, que os que rejeitam Paulo Freire, em grande parte, nem são especialistas em educação: “Eles acabam repetindo frases apregoadas por líderes com os quais se identifica. Isso é muito ruim. Quem padece é a própria população, desde a criança até o adulto”, opinou.

Patrono da Educação Brasileira

O educador Paulo Freire (1921-1997) foi declarado oficialmente o Patrono da Educação Brasileira em 2012. A homenagem foi proposta pela então deputada Luiza Erundina (PSB-SP) e sancionada pela então presidente Dilma Rousseff, como a Lei 12.612/2012.

Paulo Freire nasceu no Recife em 1921, numa família de classe média, mas devido à crise econômica de 1929 e à morte do pai em 1934, viveu uma adolescência difícil. Apesar disso, conseguiu concluir os estudos e, em 1943, aos 22 anos, ingressou na Faculdade de Direito do Recife. Ele se formou, mas não chegou a exercer a profissão, preferindo dar aulas de língua portuguesa numa escola de segundo grau.

Em 1947, Freire assumiu o cargo de diretor de educação do Serviço Social da Indústria (Sesi), no Recife, quando passou a se interessar pela alfabetização de adultos e pela educação popular. Na década de 1950, foi professor universitário e concluiu o doutorado em Filosofia e História da Educação.

Nos anos 60, trabalhou com movimentos de educação popular e, no governo de João Goulart, coordenou o Plano Nacional de Alfabetização, com objetivo de tirar 5 milhões de pessoas do analfabetismo. Seu método, conhecido como “pedagogia da libertação”, tinha como proposta uma educação crítica a serviço da transformação social.

Em 1964, depois da ascensão dos militares ao poder, Paulo Freire foi preso e exilado. Morou na Bolívia, Chile, Estados Unidos e Suíça. No Chile, em 1968, escreveu sua obra mais conhecida: “A Pedagogia do Oprimido”. Ao longo da década de 70, desenvolveu atividades políticas e educacionais em diversos países da África, Ásia e Oceania. Ele só retornou ao Brasil em 1980 com a Anistia.

Filiado ao PT, atuou em programa de alfabetização de adultos do partido. Em 1989, com a eleição de Erundina para a Prefeitura de São Paulo, foi nomeado secretário de Educação, cargo em que permaneceu até 1991. Freire morreu em maio de 1997.

Por Vinícius BacelarAgência Senado

Via Costeira volta a ser liberada para pedestres

Neste domingo (19), ocorreu o lançamento do programa Viva+ RN: Via Costeira, uma ação do Governo do Estado que libera um trecho da Via Costeira para uso de pedestres. O programa, que já funcionou em duas fases em 2013 e 2015, retorna em 2021 repaginado. O evento-piloto acontecerá entre 14h30 e 17h. 

Com o projeto, a população terá à sua disposição, em uma das vistas mais bonitas da capital, a pista que segue o sentido Ponta Negra/Praia do Meio, com um percurso de 1,7 km entre a rotatória do Hotel Serhs e o antigo Vale das Cascatas.

De acordo com o Estado, as pessoas que forem participar terão que obrigatoriamente seguir as medidas de segurança contra a disseminação do coronavírus, como a utilização de máscaras e o distanciamento social.

A ação é promovida pelo Governo do Estado e a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) se fará presente por meio dos programas Vida no Trânsito e RN + Saudável. Também são parceiros Conselho Estadual de Trânsito (Cetran/RN), Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RN), Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) e Comando da Polícia Rodoviária Estadual (CPRE) da Polícia Militar.