Dia: 14 de junho de 2021

Prova de vida pode ser feita sem sair de casa

Beneficiários do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) podem realizar a prova de vida por meio dos aplicativos Meu gov.br e Meu INSS, pelo site, em caixas eletrônicos ou até por procuração.

A medida tem o objetivo de evitar aglomerações durante a pandemia. A necessidade de fazer a prova de vida foi retomada neste mês, após interrupção em março do ano passado. Durante o período, os beneficiários não deixaram de receber seus pagamentos.

O novo sistema viabiliza a prova de vida online através de tecnologia de biometria facial, desenvolvida pelo Serpro e pela Dataprev. O procedimento vai facilitar a vida de cerca 36 milhões de aposentados, pensionistas e beneficiários de programas assistenciais. Para utilizar a funcionalidade, é necessário que o usuário tenha feito a coleta de biometria para o título de eleitor, além de possuir uma conta no gov.br, o portal de serviços de governo.

Os aplicativos Meu Gov.br e Meu INSS estão disponíveis na Google Play e App Store, ou, ainda, nos ambientes web.

Prova de vida

Realizada anualmente para comprovar a existência do beneficiário e evitar fraudes, a prova de vida é exigida de todos os que recebem benefícios de seguro social por meio de conta corrente, poupança ou cartão magnético. Para não ter o pagamento suspenso, as provas já vencidas devem ser realizadas novamente até as datas limite. Segundo estimativas da autarquia, cerca de 11 milhões de pessoas se encontram em situação de pendência, o que corresponde a um terço dos beneficiários.

Caso não seja possível a realização da prova de vida por celular, a orientação do INSS é que o cidadão procure a agência bancária responsável pelo recebimento do benefício.

Alguns bancos permitem que a validação seja feita por biometria nos próprios aplicativos ou até mesmo em caixas eletrônicos.

Uma terceira opção, para aqueles que não puderem ir ao banco por motivo de doença ou dificuldades de locomoção, é fazer a prova de vida por meio de um procurador. Mas, para isso, é preciso que a procuração seja cadastrada no INSS. A prova de vida por procuração também é uma alternativa para beneficiários que moram no exterior.

Por Kelly Oliveira – Agência Brasil

Fundação Palmares vai se desfazer de exemplar raro de obra de Câmara Cascudo e mais 5 mil livros do acervo

“Quem consultar o clássico ‘Dicionário do Folclore Brasileiro’ terá em mãos um livro não só gramatical e ortograficamente desatualizado, mas com páginas soltas e exibindo um forte cheiro de mofo”. O trecho, que se refere a uma obra clássica do historiador natalense Câmara Cascudo, foi extraído de relatório divulgado pela Fundação Palmares na última sexta-feira, 11.

No documento, a instituição lista as razões para retirada de pelo menos 5.300 livros do acervo por serem considerados, pela comissão analisadora, de caráter alheio ao escopo do órgão, apresentarem ideologia marxista ou estarem velhos e em desacordo ortográfico de 2009.

Dos 9.565 títulos disponíveis na Fundação, apenas 5% foram considerados adequados para serem mantidos na instituição, o equivalente a 475 obras. De acordo com a comissão, somente estes livros teriam “cunho pedagógico, educacional e cultural dentro da missão institucional”.

Relatório da Fundação Palmares indica a retirada de mais de 5 mil exemplares do acervo por teor “marxista” das obras ou fuga a temática negra. Imagem: Divulgação.

Os livros foram divididos em duas nas categorias de “temática negra” (46%, representando 4.400 mil títulos) e “temática alheia à negra” (54%, o equivalente a 5.165 livros).

Nos que pertencem a temática negra, 28% (2678 títulos) foram considerados “de militância política explícita ou divulgação marxista, usando a temática negra como pretexto”. Outros 13 % (1244 títulos) são, de acordo com o relatório, “catálogos, panfletos e folhetos, mesclando material de militância com informativos e descritivos de eventos e exposições”.

Dentre os 54% supostamente alheios à missão da Fundação Palmares, estão reunidas obras que, de acordo com o documento, 8% trazem “temática claramente marxista” ( 765 títulos); 20% de “temática geral com viés marxista” (1.913 livros); e 26% considerados de “temática geral” (2.487 volumes).

“O Dicionário do Folclore Brasileiro” foi publicada originalmente em 1954 e é a obra mais conhecida de Câmara Cascudo, já tendo sido reeditada 12 vezes. Apesar do título, o livro não se encaixa no formato de um dicionário informal e aborda o folclore como um tema em constante movimento e que deve ser investigado por especialistas.

O exemplar da obra de Cascudo é citado logo após o anúncio de retirada de exemplares de Machado de Assis, removidos do acervo sob acusação de prestar “desserviço” aos estudantes que possam consulta-lo, já que apresenta Português desatualizado.

“Hoje, quem desejar ler na Palmares, por exemplo, “Papéis Avulsos”, de Machado de Assis, encontrará uma edição de 1938, a qual prestará um desserviço ao estudante brasileiro, pois ele aprenderá a escrever “chronica” em vez de crônica; “Hespanha” em vez de “Espanha”; e “annos” em vez de “anos”. É um exemplar que só pode ser utilizado por linguistas ou estudiosos machadianos, mas não pelo público em geral”, indica o relatório.

O documento tem 74 páginas e foi elaborado pela equipe de Marco Frenette, nomeado por Camargo em março deste ano para o cargo de coordenador-chefe do Centro Nacional de Informação e Referência da Cultura Negra.

Frenette é ex-assessor de Roberto Alvim, demitido do cargo de secretário da Cultura, em 2020, por apologia ao nazismo.

A Fundação Palmares foi criada em 1988 e tem como função promover a preservação dos valores culturais, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira.

Por Rose Serafim – Agência Saiba Mais

Filhote de jacaré surge em conjunto residencial em São José de Mipibu

Foto: cedida

Um filhote de jacaré apareceu no Conjunto das Praias, localizado no centro da cidade de São José de Mipibu, neste domingo (13).

Os moradores capturaram o animal provisoriamente e acionaram o Corpo de Bombeiro para que o mesmo tivesse uma destinação adequada.

Segundo informações, essa é a segunda vez que um jacaré aparece na localidade.

Do Blog Nísia Digital

CER III de São José de Mipibu atende uma população de 700 usuários mensalmente

O Centro Especializado em Reabilitação-CER de São José de Mipibu, despeito da atual situação de pandemia, atende atualmente, em média, uma população de 700 usuários/mês. “Esses usuários são acompanhados semanalmente em atendimentos de (re)habilitação presenciais e remotos (opção oferecida pela instituição para casos específicos)”. A informação foi prestada pela diretora do centro, a fonoaudióloga, Gisele Rique Dantas.

Diretora do CER III, fonoaudióloga, Gisele Rique Dantas

 Segundo Gisele, “o Centro Especializado em Reabilitação-CER de São José de Mipibu é habilitado pelo Ministério da Saúde como CER III, ou seja, é habilitado para atender crianças, adolescentes, adultos e idosos com suspeita ou com diagnóstico comprovado de deficiência nas áreas, auditiva, física e visual de toda a 1ª Região de Saúde, composta por 27 municípios”.


E esclarece: “Para tanto conta com uma equipe médica e equipe de reabilitação composta pelas mais variadas especialidades como Neurologia, Oftalmologia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Psicologia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional, Psicomotricidade, Psicopedagogia, Enfermagem, Serviço Social e pessoal de apoio que acompanham os usuários com deficiência”.

Acompanhamento psicológico


A diretora do CER enfatiza que, os serviços do centro são regulados e o acesso dá-se através da Atenção Básica de Saúde(UBS) que regula os usuários para a Avaliação Global, quando esse usuário é recebido por uma equipe multidisciplinar que faz a escuta e acolhimento da família, procede com a avaliação e faz os encaminhamentos necessários para toda a Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência, quando é o caso”.

SERVIÇOS DO CER

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é image-124.png


Além das consultas médicas e dos atendimentos de reabilitação, o CER III de São José de Mipibu oferece aos recém-nascidos o Teste da Orelhinha, Teste da Linguinha e o  Teste do Olhinho que compõem o Programa de Triagem Neonatal; avaliação audiológica completa; exames como Eletroencefalograma e Espirometira; medição, seleção e adaptação de próteses e órteses motoras, cadeiras de roda e de banho”.

Teste do pezinho

Além dos atendimentos de (re)habilitação presenciais e remotos (opção oferecida pela instituição para casos específicos), acontece, também, atendimentos clínicos que compreendem consultas médicas e exames realizados, em média 600 atendimentos/mês.
Concluindo, Drª Gisele orienta: “se você suspeita ou já tem a confirmação que uma pessoa sua tem alguma deficiência, fale com a enfermeira da sua área. Ela certamente fará as orientações devidas e marcará a Avalição Global no CER”.



Programa “Gente do Campo” beneficiará São José de Mipibu

A governadoria Fátima Bezerra, assinou, dia 10, convênio de cooperação técnica e científica que formalizará o programa “Gente do Campo”. O edital foi lançado no dia 11, no Diário Oficial do Estado, para seleção da equipe técnica, através de curso de formação, em graduação e pós-graduação, para a Emater-RN.

O edital do “Gente do Campo” contém 81 vagas de nível médio e 44 vagas de nível superior, num total de 125 técnicos. Eles serão contemplados com bolsas de 48 e 24 meses, respectivamente, para os cursos de Tecnólogo em Agroecologia (graduação), e de Especialista em Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar – lato sensu. Para o convênio ser oficializado, serão investidos R$ 10.278.380,00 durante 48 meses, recursos próprios do Estado.

Segundo a Emater-RN, o “Gente do Campo” representa uma proposta de desenvolvimento da nova Assistência Técnica e Extensão Rural e fortalecimento da agricultura familiar de base agroecológica no Rio Grande do Norte.

Um diferencial do programa é a priorização das populações do campo na seleção dos novos formandos-bolsistas. Aqueles que tiverem o ensino médio ou técnico e concorrerem a uma das bolsas, ingressarão no curso tecnólogo em Agroecologia. Já os que concorrerem a uma vaga em nível superior, vão realizar uma pós-graduação em Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar.

Os candidatos deverão escolher um local para atuação, podendo ser o escritório estadual da Emater-RN (Natal) ou um dos 28 Núcleos Estratégicos de ATER (NEAs) -São José de Mipibu, João Câmara, Touros, Ceará Mirim, São Paulo do Potengi, Macaíba, Riachuelo, Pedro Velho, Santo Antônio, Santa Cruz, Jaçanã, Lagoa Nova, Acari, Caicó, Jucurutu, Parelhas, Assu, Angicos, Carnaubais, Mossoró, Apodi, Caraúbas, Umarizal, Messias Targino, Pau dos Ferros, São Miguel ou Major Sales.

Vereadora Fativan entrega dossiê ao prefeito Taveira sobre escolas de Parnamirim

Um exemplo que deveria ser seguido por outros vereadores da cidade e de outros municípios. A fiscalização de obras e funcionamento de entidades municipais. Foi o que fez a vereadora Fatian Alves, que fez uma visita a todas as escolas municipais e elaborou um dossiê, mostrando como se encontram os estabelecimentos de ensino, para quando houver o retorno das aulas presenciais, nas escolas públicas.

A vereadora Fativan Alves entregou ao prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira, um dossiê das unidades de ensino da rede pública municipal. A entrega aconteceu na quinta-feira (10) e a edil também protocolou o documento no Ministério Público do Rio Grande.

“Agradeço a sensibilidade do chefe do executivo de ter me recebido e até conversado rapidamente sobre as denúncias, se disponibilizando inclusive a fazer algumas visitas comigo às escolas que têm necessidades de investimentos mais urgentes. Esse é o espírito público que os cidadãos merecem. Se por um lado fiscalizamos e cobramos, o gestor deve entender como uma colaboração na busca de melhorias pro nosso município”, enfatiza a vereadora.